Juntos na porta que todos odeiam: o filho de Trump e o homem que investiga o pai

Na porta de embarque do aeroporto de Washington cruzaram-se duas figuras centrais do atual drama político americano

É a porta de embarque mais odiada no aeroporto Reagan, em Washington, a capital americana: há que aguardar num espaço limitado com poucas cadeiras enquanto se espera o embarque para um... autocarro, que asfalto fora conduz os passageiros para os respetivos aviões.

"Eu não gosto daquela porta. Ninguém gosta daquela porta", explicou esta sexta-feira a jornalista da CNN MJ Lee, referindo-se à porta 35X (tome nota, se viajar até à capital dos EUA). É uma sala deprimente e apertada, descreve o Washington Post .

E a espera deve tornar-se mais embaraçosa, quando nessa sala pessoas que não devem gostar muito uma da outra se cruzam. Esta sexta-feira, um outro jornalista do Politico, site especializado em informação política, fotografou um desses momentos estranhos.

Sentado numa cadeira, a ler o jornal, Robert S. Mueller III é o homem que foi indicado para dirigir uma investigação federal à eventual influência russa na campanha de Donald Trump, foi apanhado bem perto de Donald Trump Jr., filho do presidente americano, encostado à parede, com o telemóvel encostado ao ouvido, vestido com uma tshirt verde e um boné de basebol, para tentar passar despercebido.

O gabinete de Mueller confirmou ao Washington Post que o procurador embarcou num voo na porta 35X, mas fez notar que se Trump Jr. também ali esteve, "não se deu conta" da sua presença "e não teve qualquer interação com ele".

Num tempo em que o ar na política americana é pesado, estes episódios casuais não são apenas divertidos para os habitantes da capital do país, segundo o Washington Post. Por momentos, adianta o jornal, as pessoas podem identificar-se com duas das figuras centrais do atual drama político nacional ficaram retidas na pior porta de embarque do aeroporto. Nunca apanharam um avião em Lisboa, certamente...

Exclusivos