Antigo cérebro da extrema-direita espanhola encontrado no Brasil

Advogado espanhol seria o líder de um grupo responsável por atentados mortais em Espanha no final da década de 1970

Um advogado espanhol, supostamente ligado a um grupo de extrema-direita em Espanha, foi encontrado pelo jornal El Pais no Brasil, onde vive numa favela e trabalha como cozinheiro.

O espanhol seria, alegadamente, o cérebro de um grupo de extrema-direita responsável por atentados mortais nos fins dos anos de 1970, durante o período de transição na era pós-Franco.

José de las Heras Hurtado, de 72 anos, foi encontrado pelo jornalista do El Pais num restaurante modesto no Gaurujá, uma cidade do litoral do estado de São Paulo.

Deixando para trás a família, mulher e filhos, o advogado fugiu da Espanha em 1984, quando começou o seu julgamento pelo atentado de 1979, num bar de Madrid, que fez um morto e uma dezena de feridos.

Afirmando-se inocente, o ex-advogado explicou ao jornal que na época, durante a transição na Espanha após a morte do ditador Francisco Franco, os seus "contactos disseram que não teria um julgamento justo, que estava condenado".

Os três mandados internacionais para a sua prisão já se encontram prescritos.

O advogado espanhol disse que a sua intenção é continuar a viver no Brasil com sua esposa brasileira, numa favela onde diz sentir-se bem e a conviver com os seus vizinhos.

Exclusivos