Anonymous pede ajuda para combater o Estado Islâmico

Grupo diz que já atacou mais de 100 sites de propaganda e 25 mil contas nas redes sociais desde os atentados de Paris

Desde que alertou que ia atacar o Estado Islâmico na internet depois dos atentados de Paris, o Anonymous diz já ter colocado offline mais de uma centena de sites de propaganda do grupo terrorista e ainda 25 mil contas nas redes sociais. No entanto, o grupo de hackers diz precisar de mais ajuda, nomeadamente dos serviços de segurança, para continuar a concretizar o seu objetivo.

Numa entrevista à Sky News, a primeira desde que declarou guerra ao Estado Islâmico (EI), um dos elementos do Anonymous, o hacker "Comedi" afirmou que o pequeno grupo de 12 pessoas - que se autointitula de "Ghost Sec" - que tem trabalhado para atacar os sites de contas nas redes sociais do EI, está a chegar ao limite das suas capacidades, já que os sites do EI estão cada vez mais protegidos. Acrescentou que surgem também muitos novos e que, por isso, os serviços de segurança devem fazer mais.

"Penso que os serviços de segurança ou estão a ignorar, ou não sabem como o fazer, ou não têm o tempo nem as pessoas para o fazer", salientou.

Os hackers fizeram ainda uma demonstração à Sky News do que têm feito a muitos sites do EI (ver vídeo em baixo). Mas além de colocá-los offline, outra forma de ataque tem sido colocar publicidade ao Viagra ou então imagens de cabras e patos.

No dia 11 deste mês, o Anonymous que um "Dia de Raiva", ou seja quer atacar o maior número de sites e de contas nas redes sociais colocando imagens de cabras.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG