Ameaça à Europa. "Pagareis o preço quando os vossos filhos forem para a guerra"

Estado Islâmico ameaça países europeus. Polícia belga procura dois "terroristas" e teme que tenham explosivos. 4 homens foram já detidos

O grupo extremista Estado Islâmico (EI) voltou hoje a ameaçar a Europa, especialmente a França, num novo vídeo divulgado na Internet e mostrando a queda da torre Eiffel.

A gravação, cuja autenticidade não pode ser confirmada, tem pouco mais de seis minutos e foi divulgada pelo EI em Alepo, no norte da Síria.

O filme, intitulado "Paris entrou em colapso", começa com imagens dos atentados de dia 13 na capital francesa, que o EI reivindicou. Uma "voz off" dirige-se aos cidadãos europeus, referindo que não foi o EI que começou a guerra.

Foram vocês (os europeus) que iniciaram a agressão contra nós e pagareis o preço quando os vossos filhos forem para a guerra

No vídeo, um presumível membro do grupo radical, encapuzado e falando em francês com legendas em árabe, congratula-se com os atentados de Paris e incita "os irmãos de França e do mundo a fazerem o mesmo".

Um segundo 'jihadista' reitera as ameaças contra França e o presidente François Hollande devido aos bombardeamentos aéreos franceses na Síria.

Na última semana, a aviação francesa intensificou os ataques aéreos contra posições do EI, em resposta aos atentados de Paris, que mataram 130 pessoas.

Polícia procura dois "terroristas" e teme que tenham explosivos

A polícia belga procura pelo menos dois homens, um dos quais suspeito de estar armado com explosivos semelhantes aos usados nos atentados 'jihadistas' de Paris na semana passada, informaram fontes da investigação ao diário belga 'Le Soir'.

O Governo da Bélgica ativou hoje de manhã o nível quatro de alerta de ameaças, em resposta a relatórios que alertam para o risco de um atentado por parte de "pessoas diferentes, com armas e explosivos, talvez em diferentes lugares" do país.

Lojas, museus, salas de cinema, teatro e concertos, centros desportivos e outros lugares muito frequentados aos fins-de-semana encerraram as portas ou não chegaram sequer a abri-las, e a circulação foi cancelada em todas as linhas do metro.

A autarquia do centro de Bruxelas recomendou também que os cafés, restaurantes e bares encerrem esta noite como medida de precaução.

A recomendação afeta ainda os estabelecimentos dos bairros Saint-Géry, da Bolsa e de Plattesteen, segundo disse um porta-voz da autarquia ao diário 'Tijd', que foram informados por polícias, que patrulham as ruas de Bruxelas acompanhados por militares fortemente armados.

Quatro detidos

Quatro pessoas que viajavam num carro foram detidas esta tarde na praça Grand Sablon, em Bruxelas. A informação foi transmitida por um militar no local, citado pelo site RTL. As detenções surgem no dia em que a Bélgica aumentou para o nível máximo o alerta de terrorismo, que significa "ameaça iminente".

O primeiro-ministro belga, Charles Michel, afirmou hoje que a decisão de subir o nível de ameaça terrorista em Bruxelas para "4", o máximo possível, está ligada a uma ameaça de ataques com explosivos e armas. O restante país está em alerta "3". "Isto deveu-se a uma ameaça de um ataque de indivíduos com explosivos e armas em vários locais da capital", afirmou Michel numa conferência de imprensa em Bruxelas.

O jornal belga Dernière Heure escreve que foram encontrados explosivos e produtos químicos durante uma operação policial que decorreu esta noite em Molenbeek, bairro belga onde vivia o "cérebro" dos atentados de 13 de novembro em Paris. Uma pessoa terá sido detida. A BBC avança que o ministro do Interior belga quer que sejam feitas buscas nas casas em Molenbeek.

Durante a noite, o gabinete de crise que depende do Ministério do Interior anunciou a decisão. "Após a última avaliação, o gabinete de crise aumentou o alerta para o nível quatro", refere a declaração divulgada uma semana após os ataques do Daesh em Paris e que fez 130 mortos. "A análise que foi efetuada demonstra uma ameaça séria que requer medidas específicas de segurança assim como a divulgação de recomendações especiais junto da população", acrescentou.

Mas a vida continua. E nem o alerta máximo travou este casamento em Bruxelas.

Devido ao nível de alerta foi suspensa a circulação de metro em Bruxelas, uma decisão aconselhada pelo Centro de Crises belga, que pediu ainda às autoridades administrativas dos 19 distritos da região de Bruxelas a cancelar grandes eventos e a levar a cabo "uma comunicação dirigida à população" para que evitem lugares com grandes ajuntamentos de pessoas. Foi também recomendado o cancelamento dos jogos de futebol da primeira e segunda divisão durante este fim de semana. Todos os centros comerciais de Bruxelas encerraram por razões de segurança, segundo. Por fim, o Centro de Crises aconselhou a um aumento do dispositivo policial e militar que patrulha as ruas de Bruxelas. Restaurantes e cafés foram aconselhados a fechar mais cedo.

Esta é apenas a segunda vez que o nível de alerta terrorista atinge o grau "4" no território belga, depois de o grau máximo de alarme ter sido acionado no final de 2007, na sequência da detenção e 14 pessoas que planificavam permitir a evasão do islamita tunisono Nizar Trabelsi, condenado em 2004 a dez anos de prisão por planear um atentado contra a base militar de Kleine-Brogel.

Na ocasião, a secção de terrorismo da polícia federal e a procuradoria federial receavam que atos de caráter terrorista pudessem ter lugar, e o nível de ameaça "4" esteve em vigor entre 21 de dezembro de 2007 e 03 de janeiro de 2008, tendo sido cancelado o tradicional fogo de artifício de Ano Novo no centro da capital.

Preso na Bélgica suspeito de envolvimento nos ataques em França

Um suspeito detido na Bélgica foi acusado de terrorismo no âmbito dos atentados cometidos em Paris no dia 13, informou o Ministério Público belga em comunicado.

O suspeito, ouvido na quinta-feira numa audiência realizada no âmbito das investigações aos atentados cometidos em Paris de dia 13, foi colocado sob prisão pelo juiz de instrução", revelou ainda o Ministério Público. Segundo a mesma fonte, o indivíduo "é acusado de envolvimento em ataques terroristas e participação nas atividades de um grupo terrorista".

Entretanto, um homem belga de origem marroquina, suspeito de estar ligado aos atentados 'jihadistas' em Paris, foi detido no sul da Turquia, anunciou hoje a agência Dogan. Ahmed Dahmani, de 26 anos, é acusado de ter participado em operações de reconhecimento para escolher os locais dos atentados, segundo a agência, citada pela France Presse. Dahmani foi detido perto da estação balnear de Antália, na companhia de dois sírios que o iam ajudar a atravessar a fronteira com a Síria, refere ainda a agência.

(Notícia em atualização)

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG