Alto quadro português da Jerónimo Martins detido na Colômbia por corrupção

Situação foi denunciada pela própria empresa, que trabalhou em conjunto com as autoridades colombianas

Pedro Jorge da Costa Coelho, alto quadro da Jerónimo Martins e diretor de operações da empresa ARA a nível mundial, foi detido na Colômbia devido a suspeitas de corrupção. A situação foi denunciada pela própria Jerónimo Martins.

De acordo com as autoridades colombianas, a detenção foi "um marco na luta contra a corrupção privada". A informação é fornecida pela Fiscalía General de la Nación, um órgão semelhante ao Ministério Público português.

Pedro Coelho terá pedido quantias entre os 14 e os 23 mil euros para a adjudicação de contratos para a construção de lojas da rede ARA na Colômbia.

Terá também, inclusivamente, de acordo com a Fiscalía General de la Nación, pedido quase 5,8 mil euros a uma empresa para a sua mulher, exigindo também que arranjassem a esta um emprego fictício, para que tivesse ordenado sem trabalhar efetivamente.

Ao DN, a Jerónimo Martins confirmou a detenção e que foi a Jerónimo Martins Colômbia que "denunciou às autoridades colombianas a existência de um potencial caso de corrupção privada, em benefício próprio e em prejuízo da companhia, detetado pelos sistemas internos".

"Graças à atuação conjunta com as autoridades colombianas, foi possível avançar para instauração de um processo, que resultou na detenção anunciada", acrescenta a empresa.

Finalizando, a Jerónimo Martins abstém-se de "fazer mais comentários públicos sobre o assunto", porque o processo está "em curso, sob a condução das autoridades colombianas, e por respeito ao desenvolvimento da sua atividade".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG