"A Turquia não pode entrar na UE com esta Constituição"

A relatora do Parlamento Europeu para a Turquia, Kati Piri, afirma que se adotada a nova Constituição que reforça os poderes do presidente, devem cessar as negociações para a adesão.

Ancara estará a fechar as portas à União Europeia (UE) se for adotada, como tudo indica que o será, a nova Constituição, que foi referendada por voto a 16 de abril, disse à Reuters Kati Piri, relatora do Parlamento Europeu para a Turquia.

A eurodeputada holandesa defende que se o presidente Recep Tayyip Erdogan reforçar os seus poderes, a UE deve suspender as negociações entre Ancara e Bruxelas para a adesão da Turquia à União.

"A Turquia não pode entrar na UE com esta Constituição. Por isso, não faz sequer sentido continuarem as negociações", diz Kati Piri, que integra o grupo dos liberais e democratas europeus. Em 2016, o Parlamento Europeu aprovou uma resolução, não vinculativa, a pedir a suspensão das negociações. Para a eurodeputada, as mudanças constitucionais minam a democracia naquele país.

Na segunda-feira, o comissário responsável pelo alargamento, Johannes Hahn, pediu aos ministros dos Negócios Estrangeiros dos Estados membros que discutissem a suspensão das negociações na reunião que vão ter na sexta-feira em Malta. Hahn afirmou também que isso não impossibilitaria a continuação das negociações para o reforço do acordo alfandegário já em vigor.

As declarações de Kati Piri sucedem um dia depois de o presidente Erdogan ter afirmado, numa entrevista à Reuters, que o seu país não esperaria "para sempre" à porta da UE e poderia até tomar a iniciativa de abandonar as negociações para a adesão se persistir a islamofobia e a hostilidade de alguns Estados membros face à Turquia.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG