13 mortos e 12 desaparecidos no mar entre Marrocos e Espanha

A primeira embarcação, resgatada durante a madrugada, transportava 11 mortos, dois destes mulheres, uma delas grávida. Um dos tripulantes morreria no hospital. Outra embarcação, uma das cinco resgatadas depois, trazia 57 pessoas e um cadáver.

Seis embarcações foram resgatadas nesta quinta-feira no mar de Alborán, entre a costa da Andaluzia espanhola e Marrocos, noticia o El País . Duas das embarcações transportavam migrantes já mortos quando do salvamento. Até agora o balanço é de 13 mortos e 12 desaparecidos.

A primeira embarcação, resgatada durante a madrugada, transportava 11 mortos, dois destes mulheres, uma delas grávida. Outro dos migrantes acabaria por morrer depois no hospital. 55 pessoas teriam saído da zona de Nador, Marrocos, em direção a Espanha. Quase dois dias depois, acabariam por ser salvas pelas equipas da marinha espanhola. Nessa altura 32 pessoas viajavam no barco, a par dos 11 cadáveres. Todos os imigrantes são de origem subsariana.

Os sobreviventes contaram que nos quase dois dias de viagem alguns dos tripulantes tinham tanta sede que acabaram por bebes água do mar. Durante a travessia muitos deles terão caído ao mar.

Outra embarcação, uma das cinco resgatadas depois, trazia 57 pessoas e um cadáver. Uma criança de dois anos em estado de hipotermia e a sua mãe tiveram de ser resgatados por um helicóptero, pois as equipas de salvamento temeram que não sobrevivesse à viagem de barco até ao porto de Almeria.

As equipas da Cruz Vermelha estarão a prestar assistência a 56 pessoas, segundo um tuíte da organização.

O porto de Almeria recebeu este ano 12 mil migrantes, o dobro do ano passado e o triplo que havia recebido em 2016. Segundo a Organização Internacional para as Migrações, mais de 55 mil migrantes entraram em Espanha pelo mar. Destes, 744 terão morrido na travessia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG