"Quero aproveitar este empurrão para ganhar o meu lugar"

O vencedor do "The Voice Portugal", Fernando Daniel, recebeu a vitória com "um misto de emoções" e afirma que quer fazer carreira em Portugal e no estrangeiro. Última gala do concurso foi o segundo tema mais falado no Twitter a nível mundial.

"Dedicação, trabalho e ambição". É desta forma que Fernando Daniel olha para a sua prestação na quarta temporada do The Voice Portugal, da qual se sagrou vencedor, na noite deste domingo, com a última gala em direto na RTP1.

"Tudo aquilo que eu queria e pelo qual tenho lutado acabou por se concretizar. Ainda não estou em mim, estou a digerir isto tudo. É um misto de emoções, desde a realização, à felicidade e saudade", revela ao DN o jovem de 20 anos, natural de Estarreja, que foi o mais votado pelo público no concurso apresentado por Catarina Furtado e Vasco Palmeirim.

Com um contrato discográfico com a editora Universal assegurado, Fernando Daniel quer por mãos à obra. "Agora quero mostrar trabalho. Não se trata apenas de vencer. Quero aproveitar este empurrão para ganhar o meu lugar na música", frisou o vencedor, acrescentando que o tema Chandelier, de Sia, que cantou na final, foi o que mais temeu. "Se era para arriscar, era nesta final. É uma música de uma cantora e sabia que iria ter impacto se fosse cantada por um homem, como aconteceu com o tema da Adele [que interpretou na Prova Cega]", adianta.

O jovem frisa que deseja ter a sua música a passar na rádio "o mais rapidamente possível" e antecipa novidades para o dia 1 de janeiro. "Já tenho algumas músicas escritas, o que facilita o meu trabalho e o da editora", conta. O mercado português está no seu horizonte, mas não só. "Quero criar uma carreira em Portugal, mas depois quero dar o salto, quero experimentar uma carreira lá fora. Já tenho algumas portas ligeiramente abertas", diz.

Fernando Daniel dedica a vitória à família, à namorada e ao público que lhe deu a vitória e revela que o facto de ser tido como um dos favoritos, desde o início do concurso, lhe colocou "muita pressão" em cima. "Por um lado deu-me força, mas eu sabia que isso não me levaria a vencer. Eu precisava do voto. Tive sorte e tenho que agradecer às pessoas que foram fiéis, que viram e votaram", remata o jovem.

Comentado no Twitter a nível mundial

Apesar de ter perdido para a TVI na luta das audiências deste domingo, não é de estranhar que uma quinta temporada do formato já esteja prometida para 2017, com os números que o talent show tem dado à RTP nos últimos quatro meses.

A gala final, de resto, voltou a bater recordes no Twitter, tendo chegado ao segundo lugar dos assuntos mais comentados nesta rede social a nível mundial, apenas atrás da morte de George Michael.

No final, Vasco Palmeirim conta que "qualquer um [dos quatro finalistas] poderia ganhar". "Não havia um vencedor consensual à partida, isso foi uma das coisas boas deste programa", frisa o apresentador.

Com o final da quarta temporada, Catarina Furtado realça o "humanismo, entendimento e carinho" que marcou esta edição. "Há muitas coisas passadas nos bastidores que não passam na televisão". A anfitriã do concurso, que se prepara para regressar ao teatro no dia 11 de janeiro com a comédia Os Dias Realistas, no Casino Lisboa, adianta que tanto ela como Vasco Palmeirim nutrem "um sentimento paternal" em torno dos concorrentes.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG