Protagonista de "Mentes Criminosas" abandona série

Série criada em 2005 por Jeff Davis vê Shemar Moore, um dos atores principais, sair depois de onze temporadas.

O ator Shemar Moore, que interpreta o Agente Derek Morgan, esteve presente nos 252 episódios de Mentes Criminosas emitidos até à data. O episódio transmitido na última quarta-feira nos Estados Unidos marcou a despedida de Moore, que também gravou um pequeno vídeo para os fãs.

Emocionado, o ator dedicou a mensagem aos seus conterrâneos, às suas fãs e filhas: "isto não é o adeus, isto é adeus a parte do sonho, a este capítulo. Eu não vou a lado nenhum, vocês não foram lado nenhum. Sem vocês, o meu sonho não é possível. Posso sonhar com isso todos os dias mas não consigo a não ser que vocês me apoiem e torçam por mim, que me vejam."

O canal norte-americano CBS explicou que a saída do ator se deve a prioridades pessoais, querendo Moore "focar-se na vida familiar".A produtora Erica Messer reagiu à saída com tristeza: "Todos nós que fazemos parte de Mentes Criminosas estamos tristes por dizer 'até logo' ao agente Derek Morgan e é ainda mais triste que o nosso amigo Shemar Moore não esteja mais nas filmagens connosco. Temos amor e respeito por ele e pela sua escolha, mas isso não significa que não estejamos muito, muito tristes."

"Obrigado por [ter a oportunidade de] dar vida a Derek Morgan durante onze temporadas, obrigado por verem, obrigado por apoiarem [a luta contra] a esclerose múltipla e ajudarem-me a mim e à minha mãe a outros milhões de pessoas", agradeceu comovido Shemar Moore. O ator concluiu com "esta festa pode estar a acabar mas garanto-vos que vou dar outra festa e vou convidar-vos a todos."

Mentes Criminosas é transmitida às quartas-feiras, às 22.15, no canal de cabo AXN

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.