Outra versão da história da Segunda Guerra Mundial

O rei Jorge VI está preso na Torre de Londres e são as SS quem manda na Scotland Yard. É este o ambiente de SS-GB, série adaptada pela BBC do livro homónimo de Len Deighton

Imagine que foi a Alemanha a vencer a Batalha da Grã-Bretanha, travada em 1940, que Londres foi ocupada pela SS - a polícia do III Reich - e que a Scotland Yard obedecia ao comando da polícia nazi. Vá ainda mais longe na imaginação e pense em tanques de guerra em Londres, às portas do Palácio de Buckingham, e soldados alemães nas escadarias da residência da rainha consorte Isabel, a mulher do rei Jorge VI, que se recusou a abandonar a cidade e cuja frase - "Morrerei com o meu povo" - ficou célebre. Não force mais a imaginação, alguém já o fez e até reescreveu a História.

A BBC comprou os direitos de adaptação da obra SS-GB - do famoso escritor britânico Len Deighton - e está a transformá-la numa minissérie de cinco episódios, que irá para o ar na BBC1, ainda durante este ano.

As filmagens já começaram na capital britânica e houve mesmo atores vestidos com a farda das SS (abreviatura de schutzstaffel, ou tropa de proteção em português) e aviões da Segunda Guerra Mundial estacionados junto à residência real.

Baseada num livro escrito em 1978, a história foi adaptada por Neal Purvis e Robert Wade - responsáveis pelos argumentos de cinco dos filmes de James Bond - e é produzida por Patrick Schweitzer, já este responsável por êxitos como Doctor Who e Les Misérables. SS-GB conta com as principais interpretações dos atores Sam Riley e Kate Bosworth.

O drama parte da premissa de que foram os alemães que venceram a Batalha da Grã-Bretanha. É numa Londres ocupada pelos nazis que se desenrola a trama que envolve um detetive da Scotland Yard - Douglas Archer, o papel entregue a Riley - que responde às ordens da polícia do III Reich e está encarregado de investigar um homicídio aparentemente ligado ao mercado negro. O crime acontece em novembro de 1941, nove meses após a invasão alemã. Archer acaba por descobrir que o homem que foi assassinado era um físico ligado à Resistência britânica. A identidade da vítima leva-o a encontrar George, que pertence ao Exército inglês e que está a organizar uma operação para libertar o rei da prisão onde este está cativo - na Torre de Londres - e enviá-lo para o asilo, nos EUA. E como é que um físico surge nesta história? Estaria a construir uma bomba atómica para os alemães.

Nesta trama de espionagem, Kate Bosworth veste a pele de uma jornalista norte-americana, de seu nome Barbara Barga, que se vê envolvida no homicídio que Archer investiga e que acabará por se envolver romanticamente com o detetive. Os contornos deste crime podem influenciar o rumo da história - pelo menos daquela que é recriada pelo autor.

"Archer é uma personagem fascinante e complexa. É um homem bom, que tenta conciliar o seu trabalho de polícia no meio da máquina repressiva nazi", explicou Riley em declarações ao Daily Mail. Kate também elogiou os argumentistas: "Neal Purvis e Robert Wade escreveram um guião que presta homenagem à obra de Len Deighton. Estou ansiosa por trabalhar com esta equipa talentosa", disse a atriz ao mesmo jornal.

A série começou a ser produzida pela recém-fundada Sid Gentle Films ainda em 2015 - inicialmente para a BBC4 - e tem estreia marcada para 2016.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG