Jornalista curda iraquiana morta durante combates em Mossul

Jornalista terá sido morta na explosão de um engenho artesanal

Uma jornalista curda iraquiana foi morta hoje enquanto fazia a cobertura dos combates entre as forças de segurança iraquianas e os 'jihadistas' na cidade de Mossul, no norte do Iraque, divulgou o canal de televisão Rudaw.

"A jornalista Shifa Gardi foi morta em Mossul durante a cobertura dos confrontos" na região, anunciou nas redes sociais o canal curdo iraquiano Rudaw, para o qual a repórter trabalhava.

"Num jornalismo ainda dominado por homens - Shifa Gardi quebrou perceções e estereótipos -, nós rendemos homenagem à sua maneira de fazer jornalismo", acrescentou o canal televisivo.

Um responsável do canal de televisão declarou à agência de notícias francesa AFP que a jornalista foi morta numa explosão de um engenho artesanal numa estrada no oeste de Mossul, deixando ainda ferido o repórter de imagem do canal.

O repórter de imagem foi transferido para a cidade de Erbil, capital da região vizinha do Curdistão iraquiano, onde se encontra a sede do canal de televisão.

A morte da jornalista acontece após uma semana do lançamento de uma ofensiva das forças iraquianas para retomar a parte ocidental de Mossul do grupo extremista Estado Islâmico (EI), o que permitiria a reconquista completa de toda a cidade aos extremistas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG