"Maria Leal não cabe n'A Praça. Não faz sentido"

Apresentador diz que "A Praça" tem "obrigações de serviço público" e que existem determinados conteúdos que não têm lugar no formato das manhãs da RTP1

À frente do programa das manhãs da estação pública de televisão, juntamente com Sónia Araújo, Jorge Gabriel é um dos rostos mais emblemáticos da RTP. A Praça, formato que apresenta desde 2002, é atualmente o programa das manhãs, do conjunto dos três canais generalistas, com menos audiência, atrás de Você na TV (TVI) e Queridas Manhãs (SIC).

O coapresentador do talk show das manhãs da RTP1 acredita que a popularidade da TVI é atualmente "um fenómeno de arrasto que a SIC já viveu". Jorge Gabriel afirma que a RTP, pela "série de obrigações de serviço público" que tem, deve propor outro tipo de temáticas. O apresentador dá o exemplo da intérprete de Dialetos de ternura e explica porque é que esta não teria espaço no seu programa. "Maria Leal não cabe nem pode caber n'A Praça". Não faz sentido. A Maria Leal, se calhar, cabe n'A Praça como cromo".

Um ano após o regresso de A Praça às manhãs da RTP1, o apresentador faz um balanço dos últimos meses de emissão. "Consubstanciámos ao longo deste tempo aquilo que já desconfiávamos: aquele espaço faz falta. Há muitas áreas das artes, empresariais, do desenvolvimento humano que não têm espaço na televisão portuguesa e que têm n'A Praça". Temas que o apresentador afirma não terem existido no seu antecessor, Agora Nós.

Em junho de 2014, a direção de programas da RTP, na altura liderada por Hugo Andrade, decidiu renovar a oferta de talk shows para as manhãs e as tardes da estação pública. A Praça da Alegria deu então lugar ao Agora Nós e Há Tarde foi o programa das tardes da RTP1.

À época, os dois programas eram produzidos em Lisboa, algo que Jorge Gabriel considera que contribuiu para deixar de dar protagonismo à população que reside fora de Lisboa. "Para algumas pessoas, ir a um programa de televisão para falar durante sete minutos não será suficientemente entusiasmante para que um dia inteiro das suas vidas fique prejudicado, enquanto que, se se deslocarem ao Porto, são capazes de perder apenas uma manhã", afirma o apresentador.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG