"Will & Grace" está de volta. Hillary Clinton é a "culpada"

O elenco da "sitcom" reuniu-se dez anos após o episódio final. O objetivo não foi gravar uma nova temporada, mas sim fazer um pequeno episódio de apoio à candidata presidencial

Dez anos após o final de Will & Grace, o elenco reuniu-se pela primeira vez para deixar a sua marca na campanha presidencial que decorre nos EUA. Eric McCormack (Will), Debra Messing (Grace), Sean Hayes (Jack) e Megan Mullally (Karen) gravaram um pequeno episódio de 10 minutos para demonstrar o seu apoio à candidata democrata Hillary Clinton.

Divulgado esta segunda-feira à noite, o vídeo coincidiu com o primeiro debate presidencial entre Clinton e Donald Trump, transmitido pela NBC - o mesmo canal que acolheu, entre 1998 e 2006, a sitcom. Não faltaram referências à política defendida pelo republicano, à recente separação de Brad Pitt e Angelina Jolie, a fenómenos televisivos recentes como Dança com as Estrelas, e até a... Katy Perry.

Mas até o mistério ser desfeito, os fãs estiveram incontroláveis nas redes sociais, até porque durante o fim de semana os atores partilharam teasers que indicavam uma possível reunião para reavivar a série. "Um grupo de heróis vai [will] juntar-se para proteger o mundo dos aliens e [&] da destruição. Apenas um ato de graciosidade [grace] pode salvá-los na sua luta pelo que é [is] certo. Apenas eles conseguirão trazer a América de volta [back] das trevas", lê-se num vídeo publicado por Debra Messing. Na frase original, as palavras entre parêntesis estavam a negrito, revelando, precisamente Will & Grace is back (em português, Will & Grace está de volta).

Os quatro atores foram partilhando também, ao longo de todo o dia, várias fotografias nos bastidores.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...