TVI condenada a pagar 20 mil euros por ofensas e violência

A estação de Queluz de Baixo foi multada pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social por ter transmitido "ameaças, insultos e o ambiente que rodeou uma agressão física" em "Casa dos Segredos 3"

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) condenou a TVI ao pagamento de 20 mil euros por violação dos limites à liberdade de programação. Em análise esteve a exibição da terceira edição do reality show Casa dos Segredos, em 2012, por ter transmitido "em prime time ameaças, insultos e o ambiente que rodeou uma agressão física".

"Os concorrentes utilizam uma linguagem vernacular, o que é referido em diferentes queixas dirigidas à ERC", lê-se na deliberação do regulador, que analisou a "linguagem e violência verbal", a "violência conjugal", a "violência e ameaças à integridade física" e a "sexualidade e nudez" expostos no formato da estação de Queluz de Baixo. "Não obstante a colocação de 'pis' e da punição feita pela 'Voz' ao uso da linguagem brejeira e imprópria, são percetíveis alguns dos termos proferidos pelos concorrentes", diz a ERC, acrescentando que "as ofensas entre os participantes" são "amplamente exploradas pela produção do programa através dos desafios que cria incitando à discórdia e à discussão".

A deliberação, assinado Carlos Magno, Alberto Arons de Carvalho e Luísa Roseira, refere ainda que "a linguagem usada em algumas conversas descritas e o seu conteúdo implícito sexual, poderão influir negativamente as mentes mais sensíveis, designadamente crianças e adolescentes, levando os mesmos a acreditar que tais comportamentos são os praticados comummente na sociedade, estimulando a adoção de condutas similares".

Já a TVI defendeu que a ERC não tem "razão para qualificar os conteúdos em análise referentes ao programa Casa dos Segredos 3 como suscetíveis de influir negativamente na formação da personalidade de crianças e adolescentes". "A Arguida acusa o Regulador da prática de uma inversão total da lógica do processo contraordenacional relativamente ao nível de certeza que um processo desta natureza exige, igualmente o acusa de preconceituoso em relação a este tipo de programas - os reality shows", acrescenta o regulador, referindo, no entanto, que apesar da classificação etária levar "a supor que se trata de um programa adequado à maioria dos públicos, a verdade é que o formato Casa dos Segredos é apto a gerar polémica".

"As duas anteriores edições geraram inúmeras queixas, apreciadas pela ERC", frisa, sublinhando que já tinha instaurado "a TVI a exercer, de futuro, um maior controlo sobre as imagens transmitidas em reality shows" bem como reprovado "a exibição pela TVI de conteúdos de natureza sexual sem que tivesse colocado um sinal identificativo apropriado".

Recorde-se que na terceira edição da Casa dos Segredos, programa apresentado por Teresa Guilherme, o concorrente Wilson foi expulso por violência física. A ERC terá recebido 149 queixas sobre conteúdos e 243 participações sobre a alegada manipulação de resultados das votações do público.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Benefícios fiscais para quê e para quem

São mais de 500 os benefícios fiscais existentes em Portugal. Esta é uma das conclusões do relatório do Grupo de Trabalho para o Estudo dos Benefícios Fiscais (GTEBF), tornado público na semana passada. O número impressiona por uma razão óbvia: um benefício fiscal é uma excepção às regras gerais sobre o pagamento de impostos. Meio milhar de casos soa mais a regra do que a excepção. Mas este é apenas um dos alertas que emergem do documento.

Premium

educação

O que há de fascinante na Matemática que os fez segui-la no ensino superior

Para Henrique e Rafael, os números chegaram antes das letras e, por isso, decidiram que era Matemática que seguiriam na universidade, como alunos do Instituto Superior Técnico de Lisboa. No dia em que milhares de alunos realizam o exame de Matemática A, estes jovens mostram como uma área com tão fracos resultados escolares pode, afinal, ser entusiasmante.