"Sou apenas um idiota". Youtuber pede desculpa por expressão racista

Sueco diz que está "desapontado". Vídeo com pedido de desculpas já ultrapassou as 5 milhões de visualizações

PewDiePie, ou Felix Kjellberg (nome verdadeiro), é uma estrela no YouTube. O sueco de 27 anos foi recentemente acusado de racismo, depois de usar a palavra "nigger" num dos seus vídeos. Agora, pede desculpa pelo que aconteceu.

No YouTube e em vídeo pediu desculpa por ter proferido a palavra. "Disse a pior coisa de que me poderia lembrar e escapou-me. Foi algo que disse no calor do momento", explicou num vídeo que tem mais de 5,130 milhões de visualizações.

"Sou apenas um idiota, mas isso não faz com que o que eu disse, ou como o disse, esteja correto. Não há desculpas e peço desculpa se ofendi, magoei ou desapontei alguém", acrescentou.

Felix usou a palavra enquanto fazia um vídeo para o YouTube, em que jogava um videojogo, aquilo que o tornou famoso e fez com que seja o youtuber mais bem pago do mundo, tendo arrecadado cerca de 12,5 milhões de euros em 2016. Atualmente tem cerca de 57 milhões de subscritores no seu canal.

"Estou desapontado comigo porque parece que não aprendi nada das controvérsias passadas", afirmou.

PewDiePie já se viu envolvido em algumas polémicas, incluindo acusações de antissemitismo e associação ao nazismo, depois de publicar vídeos com conteúdos dessa índole.

A polémica valeu-lhe o fim da parceria com a Maker Studios, da Disney. A empresa, depois da polémica, resolveu terminar a ligação com Felix.

Ler mais

Premium

DN Life

DN Life. «Não se trata o cancro ou as bactérias só com a mente. Eles estão a borrifar-se para o placebo»

O efeito placebo continua a gerar discussão entre a comunidade científica e médica. Um novo estudo sugere que há traços de personalidade mais suscetíveis de reagir com sucesso ao referido efeito. O reumatologista José António Pereira da Silva discorda da necessidade de definir personalidades favoráveis ao placebo e vai mais longe ao afirmar que "não há qualquer hipótese ética de usar o efeito placebo abertamente".