Sony pede desculpa por cena polémica do filme "Peter Rabbit"

Em causa está um momento em que os protagonistas dão propositadamente a outra personagem um alimento ao qual esta é alérgica

Já estreou nos cinemas uma nova adaptação da história da personagem ficcional Peter Rabbit, coelho criado em livro pela escritora britânica Beatrix Potter. O filme, no entanto, está a gerar controvérsia, não só pela representação da personagem, mas também por uma cena em particular que envolve uma alergia a um alimento específico.

Numa das cenas, explica o Washington Post, Peter Rabbit e um grupo de coelhos dá uma amora a um "inimigo", Mr. McGregor, que depois aparece a sufocar antes de se conseguir injetar com uma caneta de epinefrina.

Esse momento do filme gerou logo várias respostas negativas de associações e pais de crianças que lidam com alergias a comida, que afirmam que a cena goza e minimiza com uma situação que, na vida real, pode revelar-se fatal. Isto levou à criação de um hashtag que pede o boicote ao filme (#boycottpeterrabbit) e uma petição online que exigia um pedido de desculpas.

No passado domingo, a Sony Pictures pediu desculpa, numa declaração conjunta com os responsáveis pelo filme. Afirmam que "não deviam ter tornado tão ligeiro" o facto de a personagem ter uma alergia a um alimento, mesmo num estilo de "cartoon". "Arrependemo-nos sinceramente de não estar mais cientes e sensíveis em relação ao assunto. Pedimos imensa desculpa", pode ler-se também.

O filme "Peter Rabbit" estreou no passado fim de semana e as críticas têm sido bastante díspares, com algumas pessoas a elogiarem as personagens e o filme, mas outros a defenderem que se afasta em demasia da obra de Beatrix Potter.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Henrique Burnay

Isabel Moreira ou Churchill

Numa das muitas histórias que lhe são atribuídas, sem serem necessariamente verdadeiras, em resposta a um jovem deputado que, apontando para a bancada dos Trabalhistas, perguntou se era ali que se sentavam os seus inimigos, Churchill teria dito que não: "Ali sentam-se os nossos adversários, os nossos inimigos sentam-se aqui (do mesmo lado)." Verdadeira ou não, a história tem uma piada e duas lições. Depois de ler o que publicou no Expresso na semana passada, é evidente que a deputada Isabel Moreira não se teria rido de uma, nem percebido as outras duas.