RTP1 presta homenagem aos bombeiros portugueses

A emissão da estação pública de TV acontece ao longo de todo o dia de amanhã, 12 de setembro. O programa destina-se a angariar fundos para auxiliar os bombeiros

Chama-se Nação Valente e é o especial de homenagem aos bombeiros portugueses que a RTP1 transmite amanhã durante todo o dia: entre as 10.00 e as 13.00 em direto do Porto, das 14.20 às 18.00 a partir de Lisboa e das 22.00 à meia-noite no Pequeno Auditório do Centro Cultural de Belém (CCB).

O objetivo, diz a estação pública em nota de imprensa, é uma mobilização verdadeiramente nacional para angariação de fundos para a Liga dos Bombeiros Portugueses, representada por uma mobilização de todas as equipas RTP, uma boa representação da sociedade civil portuguesa e dos artistas e músicos portugueses. Por isso, o espetáculo com que culmina este especial contará com a presença de artistas nacionais, rostos do canal e com depoimentos de pessoas que foram afetadas pelos incêndios.

A emissão da manhã será conduzida por Sónia Araújo e Jorge Gabriel e a da tarde por Tânia Ribas de Oliveira e José Pedro Vasconcelos. Os repórteres são a Joana Teles e o Tiago Góes. À noite, o espetáculo conta com a prestação de todos os apresentadores.

A anteceder a Nação Valente, a RTP1 assinala o regresso, depois de um período de férias, do Prós e Contras, apresentado por Fátima Campos de Oliveira. Em cima da mesa de debate estarão os incêndios que fustigaram o País nas últimas semanas. Uma emissão que será mais curta do que o habitual - terá cerca de uma hora - para que o canal transmita a gala a partir do CCB.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.