Prepare-se... estão a chegar os Donos Disto Tudo

O programa de humor estreia-se hoje na RTP. A atualidade exige que as gravações sejam feitas em cima do acontecimento.

Regressa hoje à antena da estação pública a equipa que durante dois anos fez o programa de humor de atualidade e crítica social, Estado de Graça. Ana Bola, Joaquim Monchique, Eduardo Madeira, Manuel Marques e a estreante Joana Pais de Brito são os Donos Disto Tudo (DDT). "O grande desafio deste programa sem dúvida que é o facto de fazermos humor de atualidade", afirma Manuel Marques.

Um formato e um tipo de comédia que, na opinião de Ana Bola, "sempre fez e continua a fazer falta na televisão". A atualidade exige que o processo de trabalho seja diferente do que normalmente se faz em televisão e que, por isso, seja mais intenso. "Estamos a gravar a dois ou três dias antes do programa ir para o ar para estarmos realmente em cima dos acontecimentos", conta Ana Bola.

Tal como em Estado de Graça, o programa divide-se em duas fases. A primeira corresponde à gravação dos sketches, tendo por base vários temas. "Temos muita coisa para pegar, a política, os reality shows", explica Manuel Marques. "Faremos com certeza rábulas aos programas que a concorrência oferece, tais como A Quinta", revela Ana Bola.

As personagens de maior sucesso que o grupo já interpretou podem voltar. "Isso pode acontecer sim. Se o público exigir o público tem", diz Joaquim Monchique. Já a segunda fase é a que será feita em estúdio, onde "será feita a contextualização dos quadros e dos temas da atualidade por trás deles". A banda de Estado de Graça mantém-se, no entanto, DDT terá uma novidade: todas as semanas os cinco humoristas recebem um convidado especial. "O convidado entra connosco nos sketches, trabalha connosco durante a semana e depois está presente também em estúdio", explica Ana Bola. E assim aconteceu no dia em que estivemos presentes nas gravações. José Pedro Gomes foi o primeiro a estrear-se nesse papel.

Já com alguns sketches gravados, a equipa reuniu-se na quarta-feira à tarde nos estúdios da Valentim de Carvalho para gravar, precisamente, os momentos em estúdio. Depois de alguns ensaios e da entrada do público, ouve-se o genérico do programa e procede-se à gravação da abertura com o elenco vestido de gala.

"Boa noite. Nós é que somos os donos disto tudo!", arranca assim a série que terá 25 episódios. Numa tentativa de gravação dessa mesma abertura, Ana Bola e Manuel Marques protagonizam um momento divertido. Os dois humoristas tinham que ir ter com o convidado José Pedro Gomes e colocarem-se um de cada lado. Ana Bola, convencida que seria do lado direito, lado esse para onde Manuel Marques já se estava a dirigir, dá um enorme puxão ao humorista, despertando muitos risos em toda a plateia,equipa técnica e até entre os dois.

Depois de apresentado o convidado, a passagem para o primeiro sketch. O público tem o privilégio de o poder ver em primeira mão e os humoristas também prestam toda a atenção. Apesar de já estar uma boa parte dos quadros do primeiro programa gravados, um elemento da produção confidencia que sexta-feira, véspera da estreia, ainda irá ser gravada mais uma rábula. Apesar do trabalho, o grupo de humoristas não podia estar mais satisfeito com este regresso. "É um prazer voltar ao playground [recreio] e trabalhar com estes meus colegas. Já nos conhecemos muito bem, é como se vivessemos todos na mesma casa", afirma Joaquim Monchique, acrescentando: "Este grupo foi formado rapidamente. Mais depressa que o novo governo".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A Europa, da gasolina lusa ao palhaço ucraniano

Estamos assim, perdidos algures entre as urnas eleitorais e o comando da televisão. As urnas estão mortas e o nosso comando não é nenhum. Mas, ao menos, em advogado de Maserati que conduz sindicalistas podíamos não ver matéria de gente rija como cornos. Matéria perigosa, sim. Em Portugal como mais a leste. Segue o relato longínquo para vermos perto.Ontem, defrontaram-se os dois candidatos a presidir a Ucrânia. Não é assunto irrelevante apesar de vivermos no outro extremo da Europa. Afinal, num canto ainda mais a leste daquele país há uma guerra civil meio instigada pelos russos - e hoje sabemos, como não sabíamos ainda há pouco, que as guerras de anteontem podem voltar.

Premium

Marisa Matias

Greta Thunberg

A Antonia estava em Estrasburgo e aproveitou para vir ao Parlamento assistir ao discurso da Greta Thunberg, que para ela é uma heroína. A menina de 7 ou 8 anos emocionou-se quando a Greta se emocionou e não descolou os olhos enquanto ela falava. Quando, no final do discurso, se passou à ronda dos grupos parlamentares, a Antonia perguntou se podia sair. Disse que tinha entendido tudo o que a Greta tinha dito, mas que lhe custava estar ali porque não percebia nada do que diziam as pessoas que estavam agora a falar. Poucos minutos antes de a Antonia ter pedido para sair, eu tinha comentado com a minha colega Jude, com quem a Antonia estava, que me envergonhava a forma como os grupos parlamentares estavam a dirigir-se a Greta.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

O governo continua a enganar os professores

Nesta semana o Parlamento debateu as apreciações ao decreto-lei apresentado pelo governo, relativamente à contagem do tempo de carreira dos professores. Se não é novidade para este governo a contestação social, também não é o tema da contagem do tempo de carreira dos professores, que se tem vindo a tornar um dos mais flagrantes casos de incompetência política deste executivo, com o ministro Tiago Brandão Rodrigues à cabeça.