O recorde da Guerra dos Tronos e outros momentos que marcaram os Emmy

"A Guerra dos Tronos" e "Veep" foram os grandes vencedores, mas houve outros momentos emocionais e surpreendentes

A 68.ª edição dos Emmy, os prémios de televisão mais conhecidos dos Estados Unidos, distinguiu a série "A Guerra dos Tronos" como melhor série dramática e "Veep" como melhor série cómica. A noite ficou marcada pela diversidade que muito críticos salientaram em comparação com os Óscares, por recordes e momentos emocionais.

O recorde de "A Guerra dos Tronos"

O drama da HBO A Guerra dos Tronos tornou-se ontem à noite o programa mais galardoado da história destes prémios, batendo a sitcom Frasier. Os 12 prémios juntaram-se aos 26 das outras edições, este ano com especial destaque para o episódio "The Battle of the Bastards".

O quinto Emmy de Julia Louis-Dreyfus

A atriz Julia Louis-Dreyfus ganhou o seu quinto Emmy consecutivo como melhor atriz na categoria de comédia, por Veep, e no pontuou um discurso com um momento emocional: dedicou o prémio ao pai, que morreu na passada sexta-feira. "Fico muito contente por ele gostar de Veep, porque a opinião dele era a que realmente importava. Obrigada".

A surpresa de Rami Malek

O prémio para o protagonista de Mr Robot, Rami Malek, foi uma das surpresas da noite. O ator de 35 anos foi escolhido numa categoria em que também estavam nomeados Kevin Spacey (House of Cards) ou Matthew Rhys (The Americans). O jornal The New York Times chama-lhe a face do "hacktivismo" já que Malek interpreta um engenheiro especialista em cibersegurança e hacker que é recrutado por um anarquista.

O discurso dos argumentistas de "Master of None"

Alan Yang e o comediante Aziz Ansari ganharam o Emmy pelo guião do episódio "Parents", para série Master of None, mas o ator que protagoniza a série nem teve oportunidade de falar - antes, Alan Yang aproveitou o discurso para lembrar que há 17 milhões de americanos de origem asiática, tantos como de origem italiana, mas que estes estão longe de deixar a sua marca e ter a mesma visibilidade no cinema e televisão. "Eles têm o Padrinho, Goodfellas, Rocky, Os Sopranos. Nós temos Long Duck Dong", disse, numa referência a uma personagem do filme Sixteen Candles.

No episódio "Parents" o protagonista, interpretado por Aziz Ansari e um amigo aprendem a apreciar o esforço que os pais, imigrantes, fizeram para que eles pudessem crescer nos Estados Unidos.

John Oliver sucede a Jon Stewart

O programa Last Week Tonight with John Oliver ganhou e Emmy de "Outstanding Variety Talk Series", um prémio que de 2003 a 2012 foi para casa com Jon Stewart, pelo The Daily Show. E Oliver até agradeceu ao antigo mentor por lhe dar a oportunidade de ganhar o prémio, ao retirar-se da televisão.

Veja a lista completa de vencedores aqui

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.