Jornalista da Fox afastada depois de fazer comentários racistas

Emily Austen foi castigada pelo canal após ter participado num vídeo no qual ofende mexicanos, chineses e judeus

Emily Austen, jornalista do canal norte-americano Fox Sports, foi afastada após ter tecido comentários e ter feito piadas racistas e xenófobas durante a transmissão de um vídeo em direto no Facebook da página Barstool Sports, um site de desporto com milhares de seguidores. A imprensa internacional afirma mesmo que a repórter terá sido despedida.

O vídeo do programa da Barstool Sports, Rundown, foi rapidamente apagado pelo canal, mas alguns internautas gravaram os 35 minutos em que se pode ver e ouvir Emily a debitar comentários racistas e depreciativos em relação a mexicanos, chineses e judeus.

No vídeo acima, a partir dos 0:56, Emily afirma que "não sabia que os mexicanos eram assim tão espertos... isso é lixado". Perante os comentários dos seus colegas, surpreendidos (chegaram a chamar Emily de "Trump júnior"), Austen tentou retratar-se, mas sem sucesso.

"Eu não disse nesse sentido. Vocês sabem que o tipo chinês é sempre o mais inteligente na aula de matemática", continuou, criticando ainda os judeus ao falar do tempo em que ela servia às mesas.

"A forma como eu falava com os judeus em Boca [Raton, na Florida]... eu simplesmente não queria saber. Eles queixavam-se de tudo. Eu servi uma cerveja a um tipo e ele não parava de se queixar. Sabia que ele não me ia dar uma gorjeta", disse.

A Fox Sports já reagiu às declarações de Emily, assumindo que não está previsto que a jornalista volte a aparecer em transmissões futuras.

"Ficámos a saber que a Emily Austen apareceu num vídeo não associado com a Fox Sports nas redes sociais, em que fez comentários insensíveis e depreciativos. Ela não estava a falar em nome da Fox Sports, nem nós toleramos quaisquer das declarações que fez no vídeo. A Emily foi avisada que os seus comentários foram inaceitáveis e não está previsto que apareça em transmissões futuras", lê-se num comunicado da estação assinado pelo vice-presidente, Steve Tello.

Ler mais

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.