"Guerra dos Tronos" e "Veep" voltam a dominar os prémios Emmy

O épico da HBO venceu 12 dos galardões, igualando o recorde atingido pela série, a mais premiada numa só edição, em 2015

A 68.ª edição dos Emmy, os prémios de televisão dos Estados Unidos, premiou no domingo, pelo segundo ano consecutivo, a "Guerra dos Tronos" como melhor série dramática e "Veep" como melhor série cómica.

O épico da HBO, baseado nos livros de George R. R. Martin, venceu 12 dos galardões atribuídos pela Academia Internacional das Artes e Ciências da Televisão dos Estados Unidos, igualando o recorde atingido pela série, a mais premiada numa só edição, em 2015.

Por seu lado, "Veep" renovou o 'reinado' na comédia, com o seu segundo Emmy consecutivo, deixando para trás séries como "Black-ish", "Master of None", "Modern Family", "Silicon Valley", "Transparent" e "Unbreakable Kimmy Schmidt".

Nas categorias de interpretação, Rami Malek, o protagonista de "Mr. Robot" emergiu como melhor ator dramático e, num discurso emocionado, agradeceu ao criador da série, Sam Esmail, que disse ser um "verdadeiro visionário".

Tatiana Maslany venceu o Emmy para melhor atriz dramática com "Orphan Black", uma série de que disse estar orgulhosa de fazer parte porque coloca "as mulheres no centro".

Julia Louis-Dreyfus recebeu o seu quinto Emmy consecutivo como melhor atriz de comédia em "Veep" e Jeffrey Tambor repetiu o galardão como melhor intérprete cómico em "Transparent".

"O Caso O. J. Simpson" conquistou a maioria dos prémios na sua categoria, como o de melhor minissérie, melhor ator (Courtney B. Vance), melhor atriz (Sarah Paulson) e melhor ator secundário (Sterling K. Brown).

A 68.ª edição dos prémios Emmy decorreu no teatro Microsoft de Los Angeles e foi apresentada pelo humorista Jimmy Kimmel.

Veja a lista completa de vencedores aqui.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Tempo de fugir de casa para regressar à terra

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.