Centeno cria conta oficial no Twitter após eleição

Na segunda-feira um internauta havia criado uma conta falsa e divulgara notícias falsas

O presidente eleito do Eurogrupo, o ministro português das Finanças Mário Centeno, abriu uma conta oficial na rede social twitter na sequência da sua eleição para liderar o fórum informal de ministros das Finanças da zona euro.

Centeno, que era um dos ministros que não tinha conta pessoal oficial naquela rede social -- muito utilizada pelos altos responsáveis políticos da União Europeia -, inaugurou a sua "conta oficial do ministro das Finanças de Portugal e presidente eleito do Eurogrupo" com uma mensagem publicada na terça-feira à noite, cerca de 24 horas após a sua eleição.

"É uma honra ser o próximo presidente do Eurogrupo. O meu compromisso é conduzir a discussão para alcançar o consenso necessário à construção de uma UEM [União Económica Monetária] com um quadro institucional mais resiliente, promovendo a convergência económica e indo ao encontro das expectativas dos cidadãos", escreveu Centeno na sua primeira (dupla) mensagem (com versão em inglês e em português).

Hoje de manhã, o presidente eleito do Eurogrupo já contava com perto de meio milhar de seguidores na sua conta, que pode ser seguida em "@mariofcenteno".

Esta segunda-feira, pouco antes da eleição para o Eurogrupo, um internauta havia criado uma conta falsa em nome de Centeno e havia mesmo publicado uma mensagem que dava conta da morte de Christine Lagarde, diretora-geral do FMI. Tanto o Eurogrupo como o FMI desmentiram a notícia e pediram ajuda para denunciar aquela conta.

Mário Centeno venceu na segunda-feira a corrida à liderança do Eurogrupo, ao impor-se na segunda volta da votação realizada na reunião dos ministros do euro em Bruxelas.

Após ter sido o mais votado na primeira volta, mas sem maioria simples, o ministro das Finanças português impôs-se ao candidato luxemburguês Pierre Gramegna na segunda volta, tornando-se assim o terceiro presidente da história do fórum de ministros das Finanças da zona euro, depois do luxemburguês Jean-Claude Juncker e do holandês Jeroen Dijsselbloem.

Mário Centeno iniciará funções em 13 de janeiro, data do final do mandato de Dijsselbloem, e presidirá pela primeira vez a uma reunião do Eurogrupo no dia 22 do mesmo mês, em Bruxelas.

Ler mais

Premium

Rosália Amorim

OE 2019 e "o último orçamento que acabei de apresentar"

"Menos défice, mais poupança, menos dívida", foi assim que Mário Centeno, ministro das Finanças, anunciou o Orçamento do Estado para 2019. Em jeito de slogan, destacou os temas que mais votos poderão dar ao governo nas eleições legislativas, que vão decorrer no próximo ano. Não é todos os anos que uma conferência de imprensa no Ministério das Finanças, por ocasião do orçamento da nação, começa logo pelos temas do emprego ou dos incentivos ao regresso dos emigrantes. São assuntos que mexem com as vidas das famílias e são temas em que o executivo tem cartas para deitar na mesa.

Premium

João Gobern

Há pessoas estranhas. E depois há David Lynch

Ganha-se balanço para o livro - Espaço para Sonhar, coassinado por David Lynch e Kristine McKenna, ed. Elsinore - em nome das melhores recordações, como Blue Velvet (Veludo Azul) ou Mulholland Drive, como essa singular série de TV, com princípio e sempre sem fim, que é Twin Peaks. Ou até em função de "objetos" estranhos e ainda à procura de descodificação definitiva, como Eraserhead ou Inland Empire, manifestos da peculiaridade do cineasta e criador biografado. Um dos primeiros elogios que ganha corpo é de que este longo percurso, dividido entre o relato clássico construído sobretudo a partir de entrevistas a terceiros próximos e envolvidos, por um lado, e as memórias do próprio David Lynch, por outro, nunca se torna pesado, fastidioso ou redundante - algo que merece ser sublinhado se pensarmos que se trata de um volume de 700 páginas, que acompanha o "visado" desde a infância até aos dias de hoje.