ERC recebe 239 queixas sobre capa do Correio da Manhã

Capa referia-se aos secretários de Estado Carlos Miguel e Ana Sofia Antunes como "o cigano" e "a cega

O regulador dos media recebeu até terça-feira 239 queixas relativas à capa do Correio da Manhã sobre a manchete "Costa chama cega e cigano para o Governo", disse à Lusa fonte oficial da ERC.

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) recebeu até terça-feira "239 queixas", disse fonte do regulador, adiantando que "o Correio da Manhã já se pronunciou, no âmbito do processo, sobre as queixas de que foi objeto".

De acordo com a mesma fonte, "as queixas e a resposta do Correio da Manhã encontram-se, agora, em fase de análise pelos serviços da ERC".

A 27 de novembro, um dia depois da publicação daquela manchete, a ERC tinha recebido 175 queixas relativas ao assunto.

A Comissão da Carteira Profissional de Jornalista (CCPJ) recebeu duas queixas sobre a matéria, tendo aberto um processo de averiguações, de acordo com fonte ligada ao processo.

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.