DN celebra aniversário sem diretor convidado

Edição do 153.º aniversário do Diário de Notícias esta sexta-feira nas bancas

O Diário de Notícias celebra 153 anos de vida na sexta-feira. Em muitos dos aniversários convidámos personalidades da vida política e económica para assumirem o papel de diretores convidados nessa edição. Desta vez convidámos Miguel Frasquilho, chairman da TAP, mas, no entretanto, o ex-presidente da AICEP foi notícia no jornal Expresso por causa de uns pagamentos a familiares seus através do chamado "saco azul" do GES. Frasquilho respondeu ao semanário e pediu à Autoridade Tributária uma auditoria para saber se tem, ou não, a sua situação fiscal regularizada.

A edição de aniversário do DN está sempre muito centrada na previsão do que vai ser o próximo ano. Publica o outlook do Economist, artigos de opinião de grandes personalidades internacionais, mais a opinião dos comentadores habituais do jornal e, ainda, o trabalho de jornalistas do DN sobre o que importa acompanhar no ano seguinte, em Portugal e no mundo. Por ser esta a matriz dos aniversários do DN, entendemos, nós e Miguel Frasquilho, que não fazia sentido manter esta parceria, para não tornar secundário o que é essencial.

O chairman da TAP chegou a reunir com os editores do DN para pensar nos grandes temas que importava tratar, como sejam a relevância da China e da Coreia do Norte nas relações dos Estados Unidos com a Ásia, o papel de Centeno no Eurogrupo, a prestação de Portugal no Mundial de Futebol ou o Festival da Eurovisão em Portugal, entre muitos outros. A partir do momento em que o diretor convidado passou a ser notícia por uma situação particular, entendemos ambos que não fazia sentido secundarizar o aniversário do DN e o outlook para 2018.

A Miguel Frasquilho, que aceitou da mesma forma o convite como aceitou a desvinculação, o Diário de Notícias agradece. A edição de 29 de dezembro, celebrando 153 anos de vida, estará nas bancas com 96 páginas, olhando para o passado, tentado perceber o que o futuro nos reserva.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.