A nova SBSR.fm não é uma "playlist", "é uma estação de rádio"

A nova estação do promotor Luís Montez conta com o apoio da Unicer e pretende dar voz aos novos artistas, principalmente os portugueses. Emite desde ontem de manhã na frequência da rádio Nostalgia, que foi descontinuada

Nasceu ontem nos estúdios em Lisboa - e na frequência - da agora descontinuada rádio Nostalgia. Chama-se SBSR.fm e a sua missão está bem definida: divulgar música nova. Portuguesa. "Os novos artistas têm aqui uma casa às ordens. A música a que nos vamos dedicar é a nova música e vamos dar especial destaque àquela que é feita no nosso país", disse Luís Montez sobre a estação que criou e que nasceu de um "sonho" de "há muito tempo". "Conseguimos, mas para isso tivemos de desistir do formato da Nostalgia, que já estava a ter muita concorrência - não só a M80 como a internet", acrescentou Montez.

Música nova e locutores - quase uma dezena - que vão ter aqui um "papel importante". "Com a evolução tecnológica e com o aparecimento da internet e das várias plataformas de divulgação de música, a rádio - e sobretudo a recomendação dos seus animadores - tem um papel importante", afiança Montez. "A SBSR.fm não é uma playlist. É uma estação de rádio com animadores cá dentro, que são loucos por música. São eles que vão querer divulgar as músicas novas que vão surgindo", prosseguiu o também administrador da Global Media Group, recordando que "a música que passava na Nostalgia não precisava de locutores". "Porque quando ouvimos Rolling Stones ou Pink Floyd não é preciso que nos digam nada. Passa-se o contrário com a música nova, que necessita de alguém a explicar por quem é feita." Quer com isto dizer que os velhos nomes não têm espaço? "Não iremos descartar as referências. Smith e The Cure, para dar exemplos, vão passar na SBSR.fm, mas em doses mínimas", responde.

Tal como o seu nome indica, a SBSR.fm - cujo público-alvo se situa entre os 18 e os 35 anos - está associada ao festival de verão Super Bock Super Rock, organizado pela Música no Coração e patrocinado pela Unicer. Rui Lopes Ferreira, CEO desta cervejeira, destaca que a estação "nasce da vontade e da ousadia da parceria de longa data" entre as duas empresas. "Será uma rádio feita para apaixonados por música, feita para conhecedores e especialistas, mas também para os mais críticos, para os mais exigentes, que são os ouvintes", garante. "Tal como o festival, vai continuar a apostar em valores portugueses", assegura ainda Rui Lopes Ferreira.

Uma rádio que também é um palco

A SBSR.fm estará disponível nas frequências 90.4 (em Lisboa) e 91.0 (no Porto). "E em todo o mundo através da internet. Tenho a certeza de que é uma das melhores estações de rádio do mundo. Temos aqui os melhores profissionais e temos todos os meios técnicos", sublinhou ainda Luís Montez, que para o primeiro dia de emissões preparou um conjunto de performances que tiveram lugar no estúdio e à entrada das instalações da estação. Alek Rein deu o pontapé de saída, e seguiram-se-lhe Filipe Sambado, Madrepaz, Tomás Wallenstein (Capitão Fausto), Lur Lur, Samuel Úria, Jibóia, Minta & The Brook Trout ou ainda Jasmim, entre outros.

Aliás, transformar esta rádio num palco que chegará aos quatro cantos do mundo, mas sempre sem lhe retirar a magia do som - "porque a rádio é o teatro da mente", justifica Luís Montez -, é também uma das missões do empresário. "Não queremos emitir em rádio além de Lisboa e Porto porque hoje em dia, com a disseminação da internet, podemos ser ouvidos em todo o mundo. Mas vamos fazer uma grande aposta no digital, com transmissão de concertos que se vão realizar nas nossas instalações, onde montaremos um palco", revela. "Claro que a magia da rádio é o som e a nossa vontade é conseguirmos tocar o coração de pessoas que não vemos, que não sabemos quem são, mas que nos ouvem", termina Luís Montez.

A Hora da Loira (com Lara Marques Pereira), Ciência Rítmica Avançada (com Keso), Vidro Azul (Ricardo Mariano), A Floresta Encantada (Ana Farinha e Tiago Castro), Em Transe (Ricardo Mariano), Ponto de Fuga (Manuela Paraíso), Ponto Pê Tê (Tiago Castro), Blitz Rádio (Nelson Ferreira), A Ronda da Noite (Lara Marques Pereira) e Espuma (Paulo Lázaro) são alguns dos programas que vão integrar a grelha da nova SBSR.fm.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

A "taxa Robles" e a desqualificação do debate político

A proposta de criação de uma taxa sobre especulação imobiliária, anunciada pelo Bloco de Esquerda (BE) a 9 de setembro, animou os jornais, televisões e redes sociais durante vários dias. Agora que as atenções já se viraram para outras polémicas, vale a pena revistar o debate público sobre a "taxa Robles" e constatar o que ela nos diz sobre a desqualificação da disputa partidária em Portugal nos dias que correm.

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.