Gilmore Girls estão de volta com "a série de sempre"

A plataforma disponibiliza desde esta sexta-feira quatro novos episódios da série de sucesso do início dos anos 2000. Protagonistas garantem que foi como "se não tivesse passado tempo nenhum"

As personagens Lorelai e Rory Gilmore estão de volta aos ecrãs com Gilmore Girls, a série do início dos anos 2000 que ficou conhecida em Portugal como Tal Mãe, Tal Filha. A Netflix lança hoje quatro novos capítulos de 90 minutos cada com novas aventuras das duas protagonistas, interpretadas por Lauren Graham e Alexis Bledel. "Foi literalmente como se não tivesse passado tempo nenhum. Foi divertido. Foi emocionante. É a série de sempre. Foi como se tivesse sido sempre pensado para continuar", garantiu Lauren numa sessão de perguntas e respostas a que o DN teve acesso sobre esta edição especial, Gilmore Girls: A Year in the Life.

A história esteve no ar durante sete anos, entre 2000 e 2007, para acompanhar o dia-a-dia de Lorelai, uma mãe solteira, e da sua filha adolescente Rory, residentes da pequena cidade de Stars Hollow, em Connecticut. Caracterizou-se por diálogos extensos, muito rápidos e polvilhados de grandes quantidades de ironia, que agora vão voltar a ser a imagem de marca da série. Além de considerar este regresso como "natural", a atriz Alexis Bledel destaca ainda que "a escrita de Amy [Sherman-Palladino, criadora da série] permite logo que se saiba como é suposto dizer o que há para dizer".

Já Lauren Graham fala dos diálogos como um dos pontos mais aliciantes deste regresso - "são a minha parte preferida da série. Depois de ter feito uma linguagem inteiramente diferente em Parenthood, ansiava muito por regressar a este registo mais estruturado, um bocadinho teatral. Levou-me de volta à primeira vez que li o argumento e que me apaixonei pelo meu papel".

"Vai ser mais rápido e veloz do que nunca, acreditem em mim, com cenas maiores, discursos mais longos e diálogos "metralhados" de um e outro lado", garantiu Scott Patterson, o ator que interpreta Luke.

As últimas quatro palavras

Este regresso para uma caminhada final era bastante aguardado pelos fãs, alguns que acompanharam a série na sua transmissão original e outros que só a puderam ver na sua disponibilização recente na Netflix.

Na última temporada, a menos consensual entre os admiradores da história, Amy e o marido Daniel Palladino afastaram-se da realização e produção, o que acabou por gerar descontentamento entre os espectadores do formato. A criadora referiu que ficaram sempre por dizer "as últimas quatro palavras" que tinha imaginado para finalizar o enredo. "É espantoso saber que as pessoas estão a aguardar ansiosamente o lançamento destes episódios e que adoram a série há tantos anos. É esse o motivo pelo qual fazemos isto, podermos comunicar uma coisa que as pessoas vão gostar e sobre a qual vão falar entre elas e aproveitar em conjunto", descreve Alexis Bledel.

"A série tornou-se icónica. À medida que vai passando mais tempo, mais gerações a vão descobrindo e isso é mesmo especial", afirmou, por seu lado, Scott Paterson. "Eu e a Lauren estávamos a falar, na primeira festa de Natal que a Amy deu em casa dela, e tentámos prever quanto tempo é que a série ia durar. Ela disse cinco anos. Eu disse sete. (...) Mas quem sabe? Quer dizer... isto dura, dura, dura. Desde que vamos ao ginásio e nos mantenhamos em forma, acho que vai correr bem", brincou o ator.

O regresso, passados nove anos, vai permitir que a história se desenvolva a par e passo com as mudanças na vida dos espectadores que a acompanharam. "Agora não é sobre uma rapariga do liceu e a sua mãe, é sobre duas mulheres, amigas, que se apercebem subitamente de que podem beber copos juntas. Podem sentar-se e falar sobre porcarias", explica a criadora da série.

A Year in the Life começa a sua ação nos dias de hoje, em Stars Hollow, onde Lorelai continua a gerir, sustentada a muito café, a Pousada Dragonfly e em que Rory, agora com 32 anos, já saboreia algum sucesso profissional. "Não é a história de uma rapariga que está na escola", esclarece Lauren Graham. "É uma história sobre uma jovem mulher e os desafios que enfrenta. No entanto, há a dinâmica entre Rory, Lorelai e Emily... Elas amadureceram, mas continuam as mesmas. E este tipo de lógica - "aqui estão as pessoas em que podes confiar" - pode manter esta relação através de qualquer idade."

Estimular o diálogo familiar

Estimular o diálogo familiar de forma descomplexada foi um dos objetivos alcançados pela série. Amy Sherman-Palladino relata que vários fãs iam ter com ela e partilhavam ter visto a série com os filhos. A transversalidade das temáticas é um dos motivos pelos quais o elenco e os produtores consideram que a série "venceu o teste do tempo". "Num mundo que tem falta de conforto e com uma variedade muito grande de séries que são stressantes - incríveis, mas stressantes -, a nossa destaca-se, como o fez antigamente, por ser extremamente reconfortante", destaca Lauren Graham.

O crítico Dave Nemetz, do site TV Line, já viu os novos episódios e converge na análise. "O revival da Netflix desta adorada dramédia familiar está perfeitamente enquadrado na televisão de conforto. É uma reprodução fiel da vibe peculiar e acolhedora pela qual nos apaixonámos", defende.

A reprodução dos pontos mais característicos da série é uma das promessas da Netflix, que garante que os fãs poderão "rever Stars Hollow em toda a sua glória, desde o restaurante do Luke à Pousada Dragonfly e à adorável casa de Lorelai no Connecticut".

Scott Paterson promete que "os fãs vão ficar realmente satisfeitos". "Não vão ver a série como uma versão híbrida dos episódios de televisão, mas sim como quatro filmes (...). Vão surgir muitas resoluções, processos de recuperação, questões respondidas, novas questões por responder", adianta.

Para saber quais são, é espreitar os últimos 360 minutos de Gilmore Girls, disponíveis para todos os utilizadores da plataforma de streaming desde as 08.01 de Portugal continental de hoje.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG