Gays deveriam usar roupa de cor diferente, diz apresentador

Pat Robertson está a ser criticado por defender que se devem diferenciar os gays de "pessoas normais"

Marion Gordon Robertson, mais conhecido como Pat Robertson, é um dos mais conservadores e polémicos apresentadores da televisão norte-americana. Esta quinta-feira, durante o seu programa The 700 Club, do canal CBN, voltou a fazer declarações contra a comunidade homossexual, que acabaram por incendiar as redes sociais.

Segundo ele, o reconhecimento dos direitos dos homossexuais "desperta a ira de Deus" e é também responsável pela crise financeira. "Não quero que a ira de Deus golpeie este país. Este é um grande país, gostaria muito de ver a América forte, mas isto é uma forma de a debilitar. Se isto continua assim, caíremos noutra crise", atirou.

E sugeriu: "A única forma de impedir a propagação destas doenças é fazer algum tipo de distinção óbvia entre homossexuais e heterossexuais. Acho que devemos impôr uma regra que os obrigue a usar uma roupa especial, de cor diferente. Deveríamos levar esta proposta ao Senado para a colocar em marcha. Assim, as pessoas normais saberiam que a pessoa que usa aquela cor é anormal, para poderem manter-se longe dela e manter os seus filhos fora do seu alcance".

Para além de provocar revolta nas redes sociais, estes comentários de Pat Robertson levaram um espectador que estava sentado na plateia a intervir, comparando as suas ideias "ao que os nazis fizeram com os judeus". O apresentador, de 85 anos, respondeu prontamente: "Falo simplesmente da proteção dos americanos. Entende o meu ponto de vista?". E o espectador voltou a contestar: "O senhor está a fazer aos homossexuais o que os nazis fizeram à minha gente há mais de meio século. Estou horrorizado".

Robertson já se fez ouvir, várias vezes, contra a comunidade LGBT. Veja alguns desses momentos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG