Este miúdo está a emocionar os britânicos

O ator Max Vento comoveu os espetadores da nova série britânica, onde interpreta uma criança com autismo

A série Letra A (A Word) estreou-se ontem na estação pública britânica e não se fizeram esperar as críticas positivas à prestação de Max Vento, que desempenha o papel de Joe, uma criança com quatro anos que sofre de autismo.

Na série, Joe passa o seu quinto aniversário sem interagir com os convidados, no seu mundo próprio, evidenciando a incapacidade de se relacionar com as outras crianças. Obcecado por música e sem apetência para estabelecer relações sociais, Joe também nunca vai às festas dos colegas.

A performance de Max levou os telespetadores a aclamarem o jovem ator no Twitter, elogiando a sua incrível prestação. Também a BBC mereceu aplauso, pela escolha de uma temática que afeta mais de 700 mil crianças só no Reino Unido.

O criador da série, Peter Bowker, ainda considerou atribuir o papel de Joe a uma criança autista mas as exigências de representação, nomeadamente na exposição de emoções, levaram-no a abandonar a ideia. Bowker, que trabalhou 14 anos com crianças com necessidades especiais, convidou Tom Purser, da Sociedade Nacional de Autismo e que tem um filho com autismo, para ser consultor da série.

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.