Entrevista a Sócrates foi "equilibrada, mas não perfeita"

José Alberto Carvalho desvaloriza as críticas de que foi alvo e garante que não se sentiu "inibido de fazer qualquer questão"

"Foi uma conversa equilibrada. Cumpriu os meus objetivos enquanto jornalista e penso que cumpriu também os da TVI". É este o balanço de José Alberto Carvalho relativamente à entrevista que fez a José Sócrates, cuja segunda parte foi para o ar na noite de terça-feira, no Jornal das 8. Depois de ter sido criticado pela forma pouco interventiva como conduziu a entrevista, o pivô da TVI desvaloriza essas reações, por alimentarem "um debate pouco enriquecedor". "As críticas dirigidas a mim são o menos relevante. Esta era a entrevista que todos os media queriam, mas que poucos jornalistas queriam fazer. As coisas não correm sempre bem, a entrevista não foi perfeita, mas não conheço ninguém que tenha momentos perfeitos em jornalismo", frisa.

José Alberto Carvalho garante ainda que não se sentiu "inibido de fazer qualquer questão". "Gostaria de ter feito mais, ficaram algumas por fazer, mas por uma questão de tempo e de dinâmica da conversa, temos que fazer opções". E apesar dessas limitações, o jornalista faz questão de sublinhar que a estrutura e conteúdo da entrevista estiveram sob o seu total controlo. "Não houve qualquer restrição de perguntas. Eu não aceitaria, em nenhuma circunstância, seja com quem fosse, que isso acontecesse. Tive a liberdade para fazer o questionário que entendi".

Esse processo de preparação, explica José Alberto Carvalho, foi "exaustivo". "Eu sei que há jornalistas que no último ano têm vivido exclusivamente dedicados ao processo de Sócrates. Como é público e notório, esse não é o meu caso, porque tive eleições e política pelo meio, porque tenho um jornal diário para fazer, e porque tive a direção de informação da TVI até ao início de janeiro. Portanto, não reivindico para o mim o estatuto de grande conhecedor do processo. Mas consegui estudá-lo o suficiente para me sentir preparado para fazer as perguntas todas".

A segunda parte da entrevista a José Sócrates, que foi para o ar esta terça-feira à noite, manteve, aproximadamente, o mesmo número de espectadores do que a primeira. A conversa conduzida por José Alberto Carvalho foi acompanhada por uma média de um milhão e 297 milhões de pessoas, mais sete mil do que as que assistiram à emissão de segunda-feira, no Jornal das 8 da TVI. A entrevista voltou, por isso, a liderar as audiências no horário em que foi inserida.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG