"Eleito ou eleita": regulador delibera que erro de Rodrigues dos Santos foi "lapso"

ERC considera que referência errada do pivô ao deputado Alexandre Quintanilha não foi intencional

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social emitiu uma deliberação sobre o episódio do Telejornal de dia sete de outubro de 2015, durante o qual o pivô José Rodrigues dos Santos utilizou a expressão "eleito ou eleita" no contexto de uma peça jornalística intitulada "Novos Deputados", na qual era referido o deputado Alexandre Quintanilha.

O regulador, que abriu um processo oficioso "face à existência de indícios de violação dos direitos fundamentais dos cidadãos", analisou "catorze participações" sobre o caso e, no ponto 58 da deliberação escreve que "não há uma associação entre o nome de Alexandre Quintanilha e a expressão 'eleito ou eleita'".

"Assumir que o pivô da RTP procurou discriminar o deputado em causa, associando propositadamente à sua pessoa um vocábulo no género feminino, visando um intuito vexatório dado a orientação sexual do deputado, em face dos elementos recolhidos que não comprovam sequer que José Rodrigues dos Santos tivesse conhecimento dessa orientação, afigura-se como um mero juízo de intenções que não encontra suporte na análise da peça", pode ler-se no documento.

Acrescenta ainda o regulador que "acredita-se na verificação de um mero lapso que não justifica posteriores considerações, sendo de concluir pela não-confirmação dos indícios de violação de direitos fundamentais e pela improcedência das queixas anexas ao presente procedimento".

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social adverte, no entanto, que a "a RTP poderia ter corrigido o seu erro de forma mais expedita", fazendo uso "das suas plataformas eletrónicas para repor a verdade com mais rapidez e por termo à celeuma então gerada".

Leia o comunicado da ERC na íntegra aqui

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG