Jornal paga a Melania por sugerir que era acompanhante de luxo

Daily Mail chegou a acordo com primeira-dama norte-americana e também publicou um pedido de desculpas

O jornal britânico Daily Mail vai pagar uma indemnização a Melania Trump no seguimento de um processo de difamação. A publicação emitiu um pedido de desculpas público à primeira-dama norte-americana após um acordo entre as duas partes, segundo o The Guardian.

Em causa está um artigo publicado no jornal a 20 de agosto do ano passado - durante a campanha eleitoral do marido - que punha em dúvida a carreira de modelo de Melania e sugeria que ela teria trabalhado como acompanhante de luxo.

O texto sugeria também que Melania e Donald Trump se tinham conhecido três anos antes da data em que dizem que isso aconteceu, e que este último encontro foi encenado.

"Nós aceitamos que estas alegações sobre Mrs. Trump não são verdade e retiramo-las", disse o Daily Mail num comunicado publicado esta quarta-feira no site. "Pedimos desculpa a Mrs. Trump por qualquer problema que a nossa publicação tenha causado".

No texto do pedido de desculpas, o Daily Mail admite que o artigo continha "declarações falsas e difamatórias sobre [Melania] que questionavam a natureza do seu trabalho como modelo profissional" e republicava "alegações de que ela prestava serviços além dos de modelo".

Pedimos desculpa a Mrs. Trump por qualquer problema que a nossa publicação tenha causado

"O artigo incluiu declarações de Mrs. Trump a negar as alegações e de Paulo Zampoli, que geria a agência de modelos, a negar também as alegações", continua o pedido de desculpas do Daily Mail. "O artigo também afirmou que não havia provas para sustentar as alegações".

Melania Trump avançou para tribunal em fevereiro e pedia uma indemnização de 150 milhões de dólares, cerca de 141 milhões de euros. Uma fonte próxima ao processo revelou depois que a indemnização deveria ser no máximo de três milhões de dólares, cerca de 2,8 milhões de euros.

Não foi revelado oficialmente a quantia que o Daily Mail aceitou pagar mas a CNN avança que a indemnização é de 2,9 milhões de dólares, cerca de 2,7 milhões de euros.

Exclusivos

Premium

Liderança

Jill Ader: "As mulheres são mais propensas a minimizarem-se"

Jill Ader é a nova chairwoman da Egon Zehnder, a primeira mulher no cargo e a única numa grande empresa de busca de talentos e recursos. Tem, por isso, um ponto de vista extraordinário sobre o mundo - líderes, negócios, política e mulheres. Esteve em Portugal para um evento da companhia. E mostrou-o.