Canal proíbe apresentadoras de usarem decotes e minissaias

A nova diretora do canal público RAI 3 criou um código de vestuário para os seus trabalhadores.

A nova diretora do terceiro canal da estação pública italiana quer apostar numa imagem mais discreta para o RAI 3 e explicou, numa circular interna enviada aos trabalhadores, qual será o novo dress code dos seus apresentadores.

No que toca às mulheres, Daria Bignardi avisou que vai colocar fim aos decotes acentuados, às minissaias, aos braços à mostra, ao excesso de maquilhagem e aos vestidos provocadores e demasiado justos, avança o jornal La Repubblica. O documento adianta ainda que as apresentadoras terão que "usar casacos em tons suaves" e só se aceitam modelos com padrões se estes forem "discretos". As riscas estão autorizadas "mas estão vetadas as cores vermelho e violeta", lê-se na circular. Quanto aos acessórios, "devem usar-se com a máxima sobriedade".

O novo código de indumentária da RAI 3, que é um canal generalista, refere ainda que os homens terão que optar por "casacos de cor azul ou cinzenta, lisos ou com riscas discretas. Não são permitidas gravatas com cores berrantes, especialmente o vermelho e casacos com quadrados", explica a diretora que ocupa o cargo desde o início de maio.

O La Repubblica adianta que, antes de ser emitida esta circular interna, a nova diretora do canal já tinha enviado aos jornalistas da RAI Parlamento novas normas de vestuário.