Boris Johnson deixa de escrever coluna de opinião e perde fortuna

O novo ministro britânico escrevia semanalmente um artigo no jornal The Daily Telegraph

O novo ministro britânico dos Negócios Estrangeiros, Boris Johnson, vai deixar de escrever uma coluna semanal de opinião pela qual recebia 250.000 libras (300.000 euros) por ano, revelou hoje a agência noticiosa Press Association (PA).

A coluna de opinião era publicada semanalmente no jornal The Daily Telegraph, podendo ler a última aqui.

Além disso, a editora Hodder&Stoughton revelou que vai adiar a publicação do livro de Johnson "Shakespeare: The Riddle of Genius", que tinha edição prevista em outubro e pelo qual o político conservador recebeu um primeiro pagamento de 90.000 libras (107.000 euros).

Apesar de a editora ter garantido que este livro sobre o escritor William Shakespeare não vai ser publicado "no futuro próximo", a PA diz que vai acabar por ser posto à venda.

Com a rescisão do contrato pela sua coluna, Johnson põe fim a uma relação de vinte anos com o jornal, referência do Partido Conservador e para o qual tinha sido correspondente em Bruxelas.

Na sua condição de ministro do governo de Theresa May, é esperado que escreva ocasionalmente artigos de opinião para jornais, mas sempre como representante da diplomacia britânica e sem receber qualquer pagamento.

Em 2009, quando era presidente da câmara de Londres, Johnson foi criticado por ao mesmo tempo manter a coluna no jornal. Quando o questionaram sobre as 250.000 libras que recebia, respondeu que eram "uma ninharia".

Boris Johnson, que teve influência no resultado do referendo do passado dia 23 de junho - 'Brexit'-, foi nomeado ministro dos Negócios Estrangeiros pela nova chefe do governo do Reino Unido e líder conservadora, Theresa May.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG