Wall Street fecha em baixa com investidores inquietos com política monetária

Nova Iorque, 12 jun 2019 (Lusa) -- A bolsa nova-iorquina encerrou hoje em baixa, continuando o seu movimento de consolidação depois de várias sessões de forte progressão, com os investidores a encontrarem motivos de inquietação nos temas do comércio e da Reserva Federal (Fed).

Os resultados definitivos da sessão indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average recuou 0,17%, para os 26.004,83 pontos.

O tecnológico Nasdaq baixou 0,38%, para as 7.792,72 unidades.

O alargado S&P500 recuou 0,20%, para os 2.879,84 pontos. Entre 01 e 11 de junho pelo contrário, este índice, que agrupa as 500 empresas com maior capitalização bolsista nos EUA, tinha progredido 5%.

"Cada vez que o índice se aproxima de um máximo, acontece pouco depois uma queda no conjunto do mercado", comentou Quincy Krosby, da Prudential Financial.

O avanço deste índice alargado, tal como o dos outros dois índices de referência de Wall Street, tinha sido alimentado pelo anúncio de um acordo comercial com o México.

Mas depois de terem aplaudido o acordo entre o Governo do Presidente norte-americano, Donald Trump, e o México, os investidores parecem ver nuvens no horizonte.

"Existe uma certa inquietação quanto ao facto de o banco central dos EUA acabar finalmente por não descer a sua taxa de juro de referência, como era largamente esperado, justamente devido à resolução do conflito com o México", notou Krosby.

Segundo esta operadora, uma descida das taxas poderia ser menos necessária para apoiar a economia norte-americana, uma vez que o conflito comercial EUA-México não se vai materializar.

Mas, ao mesmo tempo, a divulgação de um indicador veio alimentar as esperanças de uma descida da taxa de juro. Com efeito, o índice dos preços no consumidor em abril situou-se em 1,8%, inferior ao valor homólogo, ficando abaixo de 2,0%, que é o valor de referência da Fed.

"As pressões inflacionistas permanecem contidas", comentou Patrick O'Hare, da Briefing. Esta situação favorece as expetativas dos defensores da descida da taxa de juro este verão.

"O tom do comunicado da próxima reunião da Fed dentro de alguns dias (em 18 e 19 de junho) vai ser determinante para o futuro imediato", afirmou Quincy Krosby.

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.