Voleibol: Nacional/ Benfica - Sporting (declarações)

Lisboa, 20 abr 2019 (Lusa) - Declarações após o jogo Benfica-Sporting (3-2), o terceiro da final do campeonato nacional de voleibol, realizado hoje no pavilhão número 2 do Estádio da Luz, em Lisboa:

- Marcel Matz (treinador do Benfica): "Foi um jogo de altos e baixos, de muita oscilação, mas faz parte do jogo. O quarto 'set' foi muito forte da nossa parte, foi de recuperação, e só com pontos altos. Fizemos um jogo bem consistente.

No quinto 'set', quem teve mais vontade e quem batalhou mais conseguiu terminar por cima, mas foi um jogo muito equilibrado, um jogo chave.

[No Pavilhão João Rocha] vai ser um jogo de tensão, temos que nos controlar a nível mental e é a vida ou morte do Sporting, perante os seus adeptos. Vamos lá tentar a vitória".

- Hugo Silva (treinador do Sporting): "Devemos estar orgulhos do que fizemos aqui. Um jogo que se não fosse a condição física, que é normal, teria sido diferente.

No quarto e quinto 'sets' a equipa foi abaixo. O Benfica tinha quase entregue o jogo, mas acabou por, inteligentemente, tirar partido disso. Temos que te orgulho e não posso pedir muito mais.

É sempre possível corrigir uma ou outra coisa e melhorar alguns aspetos. Aqui, colocámos o Benfica em sentido e a nossa condição física não deu para mais, mas isto ainda não acabou.

A mensagem passada foi a de finais: ponto a ponto, jogar tranquilamente e sem entrar em polémicas.

Agora, foi lamentável um momento de falta de 'fair-play' por parte de um jogador do Benfica, mas isso fica na consciência de cada um. Já foi tempo em que se fazia muito disso, hoje o voleibol é diferente".

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.