Venezuela: Embaixadores da União Europeia reuniram-se com presidente do parlamento

Um grupo de embaixadores da União Europeia (UE) reuniu-se no sábado com o presidente da Assembleia Nacional (AN, parlamento), onde a oposição detém a maioria.

Segundo fontes parlamentares, durante o encontro, Juan Guaidó e os diplomatas discutiram questões relativas à crise política e económica da Venezuela.

Entretanto, através da rede social Twitter, a AN divulgou fotografias onde se vê Juan Guaidó e outros parlamentares acompanhados de diplomatas, entre eles a embaixadora da UE em Caracas, a portuguesa Isabel Brilhante Pedrosa.

"Os embaixadores reiteraram o comunicado que a União Europeia emitiu no passado dia 10 de janeiro", lê-se numa publicação da AN no twitter, numa alusão à posição da EU de reconhecer o parlamento venezuelano como poder legítimo.

No mesmo dia em que o Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, foi empossado para um novo mandato de seis anos, a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, anunciou que a UE está pronta a reagir "decisões e ações que comprometam as instituições e princípios democráticos, o Estado de direito e os direitos humanos" na Venezuela.

Mogherini sublinhou que a UE "lamentava profundamente" que o seu apelo à realização de eleições livres e justas tenha sido ignorado e Nicolás Maduro iniciasse "um novo mandato resultante de eleições não democráticas".

"Tal só afasta ainda mais a possibilidade de uma solução constitucional negociada, enquanto a situação política, económica e social no país se continua a agravar e o impacto da crise na estabilidade da região se avoluma", sustentou a Alta Representante da UE para a Política Externa.

Na sexta-feira, também o Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou, através do Twitter, que teve um encontro produtivo com embaixadores da União Europeia.

"Discutimos questões de interesse comum e abrimos canais de diálogo e entendimento, no âmbito do respeito e da autodeterminação dos povos", afirmou Maduro, numa mensagem publicada naquele rede social.

A televisão estatal VTV mostrou imagens de Maduro a receber a embaixadora da UE em Caracas, Isabel Brilhante, e representantes de vários países europeus, incluindo Portugal, no Palácio de Miraflores, sede do Executivo.

A 10 de janeiro último, Nicolás Maduro tomou posse, perante o Supremo Tribunal de Justiça, como Presidente da Venezuela para o período 2019-2025.

Segundo o Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela, Maduro foi reeleito para um novo mandato presidencial nas eleições antecipadas de 20 de maio de 2018, com 6.248.864 votos (67,84%).

Um dia depois das eleições, a oposição venezuelana questionou os resultados, alegando irregularidades e a falta de respeito pelos tratados de direitos humanos ou pela Constituição da Venezuela.

Vários países manifestaram a intenção de não reconhecer o novo mandato de Nicolás Maduro.

Exclusivos