UTAD e Câmara de Penafiel monitorizam focos de poluição no rio Sousa

A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e a Câmara de Penafiel iniciaram a caracterização de um troço do rio Sousa para monitorizar a poluição daquele afluente do Douro, disse hoje à Lusa fonte autárquica.

"Este é um trabalho muito específico e minucioso que vai permitir caracterizar os episódios de poluição, perceber a sua frequência e a sua origem", explicou Susana Oliveira, vereadora do Ambiente.

A autarca assinalou que o trabalho de campo já decorre e envolve os meios do Laboratório de Ecologia Fluvial, daquela universidade, tendo como objetivo final a identificação dos focos de poluição que vão ocorrendo pontualmente.

"Queremos perceber as causas da poluição no rio Sousa", acentuou, indicando que foram os serviços de proteção civil da autarquia que propuseram a realização do estudo.

Os técnicos da UTAD, disse, estão a estudar cerca de seis quilómetros de rio, num troço com características urbanas e semiurbanas, entre as zonas de Espindo e São José, nas proximidades da sede do concelho.

A caracterização ecológica inclui o levantamento e inventariação de habitats e a seleção de três estações de amostragem, com monitorização da qualidade biológica da água.

A equipa do Laboratório de Ecologia Fluvial vai também instalar uma estação de vigia e monitorização contínua da qualidade da água, para registar os níveis hidrométricos do rio Sousa, na ponte de Novelas.

A monitorização permitirá elaborar registos técnicos e relatórios com a cronologia das ocorrências e as suas características, garantindo ao município informações rigorosas sobre o estado do rio, concluiu a vereadora.

Exclusivos