Turquia considera referendo sobre independência do Curdistão "erro grave"

O Ministério dos Negócios Estrangeiros turco afirmou hoje que a Turquia opõe-se a todas as formas de independência curda, salientando que o referendo que o Curdistão iraquiano quer fazer a 25 de setembro "é um erro grave".

"Acreditamos que a realização de um referendo sobre a independência (anunciado pela Presidência curda iraquiana) será um grande erro", disse o Ministério dos Negócios Estrangeiros turco em comunicado.

O Curdistão, região autónoma do norte do Iraque rica em petróleo, anunciou esta semana que vai referendar a independência em 25 de setembro, apesar da oposição de Bagdade e das esperadas reticências internacionais.

"O dia 25 de setembro foi escolhido para realizar o referendo" sobre a independência, anunciou o Presidente do Curdistão iraquiano num comunicado.

Composto por três províncias, o Curdistão é uma região do norte do Iraque autónoma desde 1991 e onde as forças estão envolvidas na ofensiva contra o grupo 'jihadista' Estado Islâmico (EI) no Iraque.

Os cerca de 4,6 milhões de curdos iraquianos apoiam maioritariamente a ideia da independência.

"Será durante esse dia que os habitantes da região do Curdistão, bem como os das zonas disputadas votarão para dizer se aceitam a independência", indicou a presidência.

As "zonas disputadas" referem-se a zonas do norte do Iraque, nomeadamente a província multiétnica e rica em petróleo de Kirkuk, reivindicada tanto pelos curdos como pelo governo federal do Iraque.

Uma eventual independência do Curdistão iraquiano suscita à partida a oposição de Bagdade e esta rejeição será ainda maior se os curdos tentarem estender a sua influência a zonas fora da sua região atual.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG