SÍNTESE: Golo de Marega ao Santa Clara mantém Benfica sob pressão

Redação, 20 abr 2019 (Lusa) -- Um golo de Moussa Marega na receção ao Santa Clara foi suficiente para o FC Porto vencer (1-0) e manter a pressão sobre o Benfica na luta pelo título, à 30ª jornada da I Liga de futebol.

O FC Porto, em vantagem desde o minuto 18, deteve quase sempre no controlo do jogo, mas a verdade é que a equipa açoriana introduziu por duas vezes a bola no fundo das redes de Iker Casillas, em dois lances anulados por posição de fora de jogo.

A equipa portista acusou nitidamente o cansaço decorrente dos dois jogos que disputou com o Liverpool, a meio de duas semanas consecutivas, perante um Santa Clara que foi uma equipa consistente a defender.

De destacar mais um golo de Marega a garantir os três pontos, ele que tem sido um jogador nuclear do FC Porto na presente temporada.

Por seu lado, o Desportivo de Chaves foi a Moreira de Cónegos derrotar a equipa sensação do campeonato, graças a um golo do central sérvio Nikola Maras, e manter viva a 'chama' da manutenção, numa partida com caráter decisivo para os flavienses.

No Jamor, o Belenenses, a contas com uma vaga inusitada de lesões, somou o sexto jogo consecutivo sem vencer, ao ser derrotado pelo Rio Ave por 3-1, mas esteve a perder por 3-0, tendo marcado o tento de honra aos 72 minutos, pelo central francês Vicent Sasso.

O Sporting de Braga cumpriu os 'mínimos' ao ir a Santa Maria da Feira vencer o já despromovido Feirense por 2-0, não 'atirando a toalha ao chão' na luta pelo terceiro lugar, com o Sporting, que mantém uma vantagem de três pontos sobre os minhotos a quatro jornadas do final do campeonato.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.