Sindicato suspendeu greve nos CTT da Moita e do Montijo

Redação, 11 jun 2019 (Lusa) - O Sindicato Democrático dos Trabalhadores dos Correios, Telecomunicações, Media e Serviços (SINDETELCO) suspendeu a greve marcada para hoje nos correios da Moita e do Montijo devido ao alegado preenchimento dos postos de trabalho em falta com trabalhadores temporários.

"A empresa sabia do pré-aviso de greve de 11 a 28 de junho e, na passada sexta-feira, recorreu à contratação de trabalhadores temporários, o que lhe permitiu preencher todos os postos de trabalho em falta", disse à agência Lusa Vítor Pereira, secretário-geral adjunto do SINDETELCO.

"No entanto, apesar da suspensão decidida hoje, os trabalhadores poderão retomar a greve caso as chefias decidam retirar os trabalhadores entretanto colocados nestes Centros de Distribuição Postais", acrescentou.

O sindicalista lembrou que uma das principais reivindicações dos trabalhadores dos CTT do Montijo e da Moita é, justamente, o preenchimento de todos os postos de trabalho e o fim da prestação de trabalho extraordinário não remunerado, bem como a realização de um novo estudo sobre os giros dos carteiros face ao aumento dos domicílios nos dois concelhos.

De acordo com Vítor Pereira, faltam três trabalhadores em cada um dos dois Centros de Distribuição, no Montijo e na Moita.

Questionado pela agência Lusa, o sindicalista assegurou que não há qualquer questão salarial na origem da greve, uma vez que estão a decorrer negociações com a empresa sobre a tabela salarial.

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.