Reuniões temáticas do Conselho Estratégico do PSD em maio e junho por todo o país

Lisboa, 19 abr 2019 (Lusa) -- O Conselho Estratégico do PSD realiza, em maio e em junho, Convenções Temáticas em várias localidades portuguesas, abertas a militantes e simpatizantes do partido, que visam "a definição de estratégias e políticas para a resolução dos problemas do país".

De acordo com informação hoje divulgada no site oficial do partido, "entre 04 de maio e 29 de junho o Conselho Estratégico Nacional do PSD vai realizar 13 Convenções Temáticas para continuar a debater ideias e a reunir contributos dos militantes do partido e simpatizantes, tendo como objetivo a definição de estratégias e políticas para a resolução dos problemas do país".

As reuniões "são abertas a todos os inscritos e interessados em participar ou mesmo inscrever-se neste fórum de debate, que conta atualmente com a participação de cerca de 2000 pessoas".

As primeiras reuniões, das secções temáticas de Ambiente, Energia e Natureza e de Finanças Públicas realizam-se em 04 de maio, em Leiria e em Lisboa, respetivamente.

Em 09 de maio acontece em Lisboa a reunião da secção temática de Assuntos Europeus. No dia 11 há reuniões em Viseu, no Porto e em Santarém, das secções de Reforma do Estado, Autonomias e Descentralização, de Saúde e de Segurança Interna e Proteção Civil, respetivamente.

As reuniões das secções temáticas de Relações Externas e Defesa Nacional e de Educação, Cultura, Juventude e Desporto acontecem em 01 de junho em Albufeira e Torres Novas, respetivamente.

Em 15 de junho, Coimbra acolhe a reunião da secção temática de Justiça, Cidadania e Igualdade e, em 22 do mesmo do mês, Aveiro recebe a reunião da secção temática de Solidariedade e Sociedade de Bem-Estar.

Para 29 de junho estão marcadas as reuniões das secções temáticas de Economia, Trabalho e Inovação, em Leiria, de Ensino Superior, Ciência e Tecnologia, em Lisboa e da subsecção de Cultura, em Óbidos.

O Conselho Estratégico Nacional do PSD tem "16 secções temáticas, uma subsecção de Cultura e ainda um grupo de trabalho destinado a elaborar uma proposta de reflexão para a Reforma do Sistema Político e Partidário".

"Ao longo de um ano, o Conselho Estratégico Nacional tem vindo a afirmar-se como um grupo de reflexão que tem como principal objetivo aproximar novamente a sociedade dos partidos e mais concretamente da vida política", lê-se no site do PSD.

O Conselho Estratégico Nacional, cuja primeira Convenção Nacional aconteceu em fevereiro, foi criado pelo atual líder do PSD, Rui Rio, para "mudar a forma de militância" no partido e preparar o programa eleitoral.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Dos pobres também reza a história

Já era tempo de a humanidade começar a atuar sem ideias preconcebidas sobre como erradicar a pobreza. A atribuição do Prémio Nobel da Economia esta semana a Esther Duflo, ao seu marido Abhijit Vinaayak Banerjee e a Michael Kremer, pela sua abordagem para reduzir a pobreza global, parece indicar que estamos finalmente nesse caminho. Logo à partida, esta escolha reforça a noção de que a pobreza é mesmo um problema global e que deve ser assumido como tal. Em seguida, ilustra a validade do experimentalismo na abordagem que se quer cada vez mais científica às questões económico-sociais. Por último, pela análise que os laureados têm feito de questões específicas e precisas, temos a demonstração da importância das políticas económico-financeiras orientadas para as pessoas.