Projeto "Tourfly" lança aplicação móvel com oferta turística na Área Metropolitana de Lisboa

Lisboa, 17 mai 2019 (Lusa) -- O projeto de investigação "Tourfly" lançou hoje, em Lisboa, uma aplicação móvel que disponibiliza a oferta turística na Área Metropolitana de Lisboa, apostando em novas experiências como o turismo criativo, literário, cinematográfico, voluntário, solidário e o 'dark tourism'.

"A ideia foi trabalhar com áreas que não estão exploradas", afirmou a coordenadora da investigação, Graça Joaquim, indicando que o projeto "Tourfly" surgiu com o crescimento exponencial do turismo na cidade de Lisboa, que "convive com fortes desigualdades no desenvolvimento turístico da Área Metropolitana de Lisboa".

Envolvendo a Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril, o Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa - Instituto Universitário de Lisboa e o Politécnico de Lisboa, ao longo de dois anos, o projeto de investigação "Tourfly - Inovação e Futuro: contributos para o desenho da oferta turística na Área Metropolitana de Lisboa", além da aplicação móvel, resultou na apresentação de um livro, oito protótipos de modelos de negócio e propostas de eventos.

Na aplicação móvel "Tourfly" estão "10 áreas temáticas de conteúdos visitáveis", nomeadamente artes e criatividades, artes performativas, 'dark tourism', gastronomia e vinhos, herança cultural -- festividades, herança cultural -- aldeias, 'street art', turismo cinematográfico, turismo literário e turismo de saúde e bem-estar.

Oferecendo itinerários e pontos de visita, a aplicação reúne propostas de eventos "muitas vezes desconhecidas", que se desenvolvem nos 18 municípios da Área Metropolitana de Lisboa, promovendo "um melhor conhecimento do território".

De acordo com a investigadora responsável pelo projeto "Tourfly", os utilizadores da aplicação móvel podem também construir os próprios itinerários.

"O sucesso ou fracasso deste projeto vai depender da forma como a sociedade o utilizar", avançou Graça Joaquim, explicando que os resultados do projeto de investigação podem ser utilizados por todos os cidadãos, incluindo câmaras municipais e empresas.

Nas propostas de eventos, que estão identificadas por temas, com informação sobre o lugar, as atividades e a duração, o projeto de investigação "Tourfly" apostou na criação de novas experiências turísticas, articulando várias temáticas, como é o caso da iniciativa concerto na vinha.

Neste sentido, o projeto "Tourfly" pretende desafiar a sociedade para a apresentação de propostas de eventos, para que possam "alargá-las e multiplicá-las".

Financiado por fundos da União Europeia, no âmbito do Portugal 2020, o projeto de investigação tem como objetivo central "alargar a marca Lisboa" como instrumento estratégico para a diversificação e organização da oferta turística na Área Metropolitana de Lisboa através das indústrias criativas aplicadas ao turismo, do turismo de saúde e bem-estar ao gastronómico e enoturismo, e de ofertas pioneiras nesta região como o 'dark tourism' ou o turismo voluntário, cinematográfico, criativo e literário.

Exclusivos