Presidente cessante da Indonésia, Joko Widodo, diz ter sido reeleito

Jacarta, 18 abr 2019 (Lusa) -- O presidente cessante da Indonésia, Joko Widodo, disse hoje que foi reeleito após receber uma estimativa de 54% dos votos, retrocedendo na decisão de esperar por resultados oficiais depois de o seu adversário ter reclamado uma improvável vitória.

Depois de um encontro com partidos da sua coligação, Widodo disse aos jornalistas que cerca de 20 líderes de nações do Sudeste Asiático e de outras regiões o congratularam por conseguir um segundo mandato.

A estimativa de votos baseia-se nas designadas contagens rápidas de uma amostra de assembleias de votos feitas por conceituadas empresas de sondagens e que no passado provaram estar bastante corretas na previsão do resultado final.

Widodo disse que 100% ou quase das assembleias da amostra já foram contadas.

O seu adversário Prabowo Subianto disse ter obtido 62% dos votos nas eleições de quarta-feira, com base nos dados da sua campanha.

A Comissão Eleitoral tem de divulgar os dados oficiais das eleições presidenciais e legislativas até 22 de maio.

As autoridades indonésias alertaram hoje contra qualquer manifestação, após Subianto ter recusado reconhecer os resultados provisórios que dão a vitória a Widodo.

O chefe da polícia nacional, Tito Karnavian, advertiu que as eleições que decorreram "em segurança" não devem ser perturbadas por manifestações e evocou a possibilidade de detenções.

"Em caso de ação ilegal ou inconstitucional que ameace a estabilidade e a segurança do público", as autoridades "tomarão medidas firmes", afirmou.

"Apelo a todos para que se abstenham de participar em manifestações, seja para se congratularem ou exprimirem descontentamento" face aos resultados, sublinhou Karnavian.

Segundo a agência France Presse, as ruas de Jacarta estavam hoje calmas, um dia depois da votação no país, com 260 milhões de habitantes.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.