Polícia italiana detém sete suspeitos de tentar reorganizar a máfia siciliana

A polícia italiana deteve hoje sete pessoas acusadas de tentarem reorganizar a máfia siciliana (Cosa Nostra), incluindo dois familiares de chefes históricos desta organização criminosa, informou o Ministério Público de Palermo, no sul da Itália.

O Ministério Público informou, em comunicado, que entre os presos estão Leandro Greco, neto de Michele Greco, um dos líderes históricos da 'Cosa Nostra', e Calogero Lo Piccolo, filho do 'capo' Salvatore Lo Piccolo, que foi preso em 2007.

O procurador de Palermo, Francesco Lo Voi, dirigiu esta operação que levou à detenção destas pessoas graças à colaboração de dois membros da máfia siciliana, Filippo Bisconti e Francesco Colletti, presos em dezembro.

Ambos eram chefes dos chamados "mandamenti", cada um num distrito, já que a 'Cosa Nostra' divide as áreas de gestão de atividades ilegais.

Bisconti e Colletti foram presos a 04 de dezembro numa operação chamada "Cúpula 2.0", que terminou com a prisão de 46 pessoas, incluindo Settimio Mineo, de 80 anos, que se acreditava ser o novo chefe da máfia siciliana depois da morte de Totò Riina.

Os dois decidiram colaborar com a justiça italiana e explicaram à polícia como a organização tentou reestruturar-se a partir de uma reunião que ocorreu a 29 de maio e deram detalhes da dinâmica interna, de acordo com a nota oficial do Ministério Público.

Exclusivos