Óbito: Assembleia Municipal do Porto aprova votos de pesar pela morte de Agustina Bessa-Luís

Porto, 12 jun 2019 (Lusa) - A Assembleia Municipal do Porto aprovou hoje dois votos de pesar pela morte da escritora Agustina Bessa-Luís, na passada semana, no Porto, aos 96 anos.

As propostas foram apresentadas pelos grupos municipais Rui Moreira: Porto, o Nosso Partido e do PS, tendo sido subscritas por todos os partidos com representação na Assembleia Municipal - PAN, Bloco de Esquerda, CDU e PSD.

Agustina Bessa-Luís nasceu em 15 de outubro de 1922, em Vila Meã, Amarante.

A escritora, que se estreou nas Letras com o romance "Mundo Fechado", em 1948, destacou-se em 1954, com a publicação de "A Sibila", obra que lhe valeu os prémios Delfim Guimarães e Eça de Queiroz.

Agustina recebeu também, por duas vezes, o Grande Prémio de Romance e Novela, da Associação Portuguesa de Escritores, a primeira, em 1983, pela obra "Os Meninos de Ouro", e, depois, em 2001, por "O Princípio da Incerteza I - Joia de Família".

A escritora foi distinguida pela totalidade da sua obra com o Prémio Adelaide Ristori, do Centro Cultural Italiano de Roma, em 1975, e com o Prémio Eduardo Lourenço, em 2015. Em 2004 recebeu o Prémio Camões e o Prémio Vergílio Ferreira.

Foi condecorada como Grande Oficial da Ordem de Sant'Iago da Espada, de Portugal, em 1981, elevada a Grã-Cruz em 2006, e com o grau de Cavaleiro da Ordem das Artes e das Letras, de França, em 1989, tendo recebido a Medalha de Honra da Cidade do Porto, em 1988.

Exclusivos