Nova edição do Programa Escolhas chega a 17 distritos e envolve quase 24 mil pessoas

A ministra da Presidência e da Modernização Administrativa defendeu hoje que as qualificações serão sempre o desafio fundamental do Programa Escolhas, um projeto com 18 anos cuja edição mais recente vai chegar a 17 distritos, em 68 concelhos.

Os protocolos da sétima geração do Programa Escolhas foram assinados hoje, havendo 103 projetos aprovados para 2019/2020, entre 30 na zona Norte, 19 no Centro, 36 na área metropolitana de Lisboa, onze no Alentejo e quatro no Algarve.

Prevê-se que esta geração do Programa Escolhas envolva 23.883 pessoas, nas quais se incluem 5.795 imigrantes ou descendentes e 4.464 pessoas ciganas.

Entre os 68 municípios por onde se distribuem os projetos, a maior representação está nos concelhos de Lisboa (12), Sintra (8), Amadora e Porto (5) e Vila Nova de Gaia e Gondomar (4).

Entre os 103 projetos há 93 que se candidataram à medida Educação, Formação e Qualificação, 50 à medida Emprego e Empreendedorismo e 95 à medida Dinamização Comunitária, Participação e Cidadania.

Em declarações à agência Lusa, a ministra da Presidência e da Modernização Administrativa defendeu que o desafio das qualificações será sempre um desafio fundamental, justificando que na base de outras desigualdades está sempre a desigualdade de qualificações.

Mariana Vieira da Silva salientou que este é um projeto com 18 anos, "uma coisa muito rara nestas áreas", que alcançou uma visibilidade nacional e internacional muito significativa porque foi conseguindo "atualizar respostas aos problemas sociais que iam surgindo".

"Começou por ser uma resposta muito centrada nos bairros críticos à volta de Lisboa e soube-se atualizar para o problema do insucesso escolar à medida que o país foi estabelecendo a escolaridade obrigatória de 12 anos para todos", apontou.

De acordo com a ministra, o Programa Escolhas centra-se agora em três "questões fundamentais": educação e formação, empregabilidade e cidadania e participação política.

Mariana Vieira da Silva defendeu que este último tema "é o verdadeiro desafio", já que é preciso a garantir que "todos participam na vida cívica e política de forma igual".

Salientou, a propósito, que apesar deste ser um tema recente no Programa Escolhas, há já 95 candidaturas, frisando acreditar ser este um dos temas do futuro.

O Programa Escolhas foi criado em 2001, dinamizado pelo Alto-Comissariado para as Migrações, tem como objetivo a inclusão social de crianças e jovens provenientes de contextos mais vulneráveis, desde logo as descendentes de migrantes e as de comunidades ciganas.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG