Norwegian diz que recusou ofertas de compra do IAG que apenas confirma contactos

A Norwegian anunciou hoje que recusou duas ofertas de compra por parte do grupo IAG porque subavaliam a companhia aérea norueguesa, mas o grupo rejeita ter feito qualquer proposta e apenas admite terem havido contactos.

Segundo a companhia 'low cost' norueguesa, as duas ofertas para comprar 100% da Norwegian por parte do grupo IAG - que inclui a Iberia, Vueling e British Airways - foram analisadas pelo Conselho de Administração em conjunto com os assessores financeiros e jurídicos da companhia norueguesa.

A administração da companhia norueguesa "continua plenamente comprometida com a execução da estratégia estabelecida", refere ainda a Norwegian num comunicado.

Posteriormente ao anúncio da Norwegian, o Chief Executive Office (CEO, presidente executivo) do IAG, Willie Walsh, afirmou que o seu grupo não apresentou qualquer oferta de compra, mas admitindo que apenas houve contactos com o Conselho de Administração sem um resultado positivo.

Durante una conferência telefónica, Walsh insistiu que agora o grupo vai rever todas as opções em relação à Norwegian.

Em 12 de abril último, o grupo IAG anunciou que comprou uma participação de 4,61% na companhia aérea norueguesa Norwegian Air International e que estava a estudar uma eventual oferta de compra da totalidade da empresa.

Na altura, a Norwegian sublinhou que não tinha tido conhecimento prévio da compra e que considerava o interesse do IAG uma confirmação da "sustentabilidade e do potencial do modelo de negócio e de crescimento" da companhia escandinava 'low cost' (de baixo custo).

Há duas semanas, coincidindo com a assembleia-geral de acionistas, o dono da companhia norueguesa, Bjørn Kjos, rejeitou em declarações ao diário norueguês Dagens Næringsliv a possibilidade de se desfazer da empresa.

"Não pensei vender. Está bem que as pessoas queiram comprar ações, é uma empresa séria. Todas as companhias aéreas que têm dinheiro para comprar têm estado interessadas em entrar na Norwegian", adiantou na altura Kjos.

O grupo IAG, cujo principal acionista é, atualmente, a Qatar Airways - com uma participação de 20% - foi fundado há sete anos na sequência da fusão da britânica British Airways e da espanhola Iberia.

O International Airlines Group foi constituído com uma estrutura orientada para a futura aquisição de companhias aéreas e nos últimos anos já comprou a totalidade das ações da Vueling e da Aer Lingus.

Criada em 1993, a Norwegian tem crescido nos últimos anos até se ter convertido numa das principais companhias aéreas 'low cost' da Europa, além de ter começado a realizar voos transatlânticos.

A Norwegian registou em 2017 prejuízos líquidos de 299 milhões de coroas (31 milhões de euros) devido a custos associados à subida do preço do combustível, aluguer de aviões e assistência a passageiros, contra um lucro recorde de 1.135 milhões de coroas (117 milhões de euros) em 2016.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG