Navio da Marinha no Mediterrâneo para "treinar 'guerra de minas'"

Lisboa, 26 abr 2019 (Lusa) - O Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA) informou que "o navio patrulha oceânico "Figueira da Foz', da Marinha Portuguesa" participa a partir de sábado num exercício militar internacional no mar Mediterrâneo para "treinar 'guerra de minas'".

O navio da Marinha deve chegar a Maó, na Ilha Menorca, nas Baleares, no sábado, permanecendo na parte ocidental do mar Mediterrâneo até 13 de maio.

O exercício, denominado de SPANISH MINEX 19, marca a ativação este ano da força naval europeia EUROMARFOR, da qual Portugal assumiu o comando em 19 de setembro, por um período de dois anos.

"A Força naval será constituída pelo navio "Figueira da Foz", mergulhadores do Destacamento de Guerra de Minas e militares de apoio ao comandante do grupo tarefa EUROMARFOR, num total de 65 militares", pode ler-se no comunicado do EMGFA.

"Esta força naval multinacional", que inclui ainda Espanha, França e Itália, "é ativada especificamente para o cumprimento de missões ou operações navais, aéreas e anfíbias, podendo, num curto espaço de tempo, constituir-se como uma força pronta para atuar e ser empregue em missões humanitárias e de salvamento, manutenção da paz, de combate em gestão de crises e restabelecimento da paz", acrescenta-se na mesma nota.

O SPANISH MINEX é um exercício anual organizado pela Marinha espanhola, cujo objetivo é pôr em prática procedimentos comuns para a defesa de portos contra a ameaça de minas e providenciar segurança aos navios mercantes, segundo o EMGFA.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.