Mercado "Pitões à Mão" divulga tradições e artesanato em aldeia de Montalegre

A aldeia de Pitões das Júnias, em Montalegre, acolhe entre sábado e domingo a 2.ª edição do Mercado de Natal Cultural que pretende reavivar tradições transfronteiriças e do Barroso, valorizar o trabalho artesanal e dinamizar o ecoturismo.

Organizado pela Associação Para o Desenvolvimento de Pitões (APDP), o evento convida à descoberta desta aldeia serrana do Gerês, no distrito de Vila Real, e pretende ainda ser uma alternativa aos mercados tradicionais de Natal.

"A importância para Pitões das Júnias é a valorização das suas tradições, a aprendizagem de novas técnicas pela população, a dinamização do ecoturismo e da própria economia local", afirmou hoje à agência Lusa Ana Margarida Paiva, que pertence à organização.

Nesta segunda edição do "Pitões à Mão", a organização destaca o aumento do número de artesãos que vão mostrar o seu trabalho e fazer demonstrações ao vivo.

"Trata-se de trabalho autêntico e não repetitivo", frisou Ana Margarida Paiva.

Os visitantes vão poder ver urdir e tecer uma capa de burel, tender o pão de centeio original do Barroso no forno do povo comunitário, observar o trabalho numa oficina de feltragem e de tecelagem contemporânea, aprender a fazer cestaria ou como se forja o ferro.

Neste mercado é possível fazer compras diretamente aos artesãos que fazem, constroem e moldam os produtos, e também comprar "produtos da terra", como batatas e couves para o jantar da consoada.

O programa inclui ainda uma performance teatral e musical, num dos bosques de Pitões das Júnias, que simboliza a passagem do outono ao inverno através das fadas, que será interpretada pelas crianças da aldeia.

No âmbito do mercado realiza-se ainda um concerto e as exposições de fotografia "Mulheres", de Mercedes Vasquez Saavedra, que retrata muitas mulheres de Pitões das Júnias, de Castro Laboreiro ou de Rio de Onor, e ainda "Recortes da Minha Serra" de Lília Jorge.

A aldeia de Pitões das Júnias situa-se no Parque Nacional da Peneda-Gerês, em zona classificada como Património Agrícola Mundial, pelo que a organização quer também valorizar e divulgar os usos e costumes ligados a esta atividade e, ao mesmo tempo, promover o ecoturismo.

Os visitantes poderão aprender como se faz uso dos matos para "fazer a cama" do gado, numa vacaria da localidade.

O "Pitões à Mão" conta com o apoio do município de Montalegre, da Junta de Freguesia de Pitões das Júnias, do Ecomuseu de Barroso, do Centro Interpretativo do Planalto da Mourela, dos patrocinadores e dos próprios habitantes da aldeia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG