Wimbledon: João Sousa na segunda ronda com vitória sobre britânico Paul Jubb

Londres, 02 jul 2019 (Lusa) - O tenista português João Sousa estreou-se hoje na presente edição de Wimbledon, terceiro 'major' da temporada, com uma vitória frente ao britânico Paul Jubb.

O vimaranense, 66.º colocado no 'ranking' ATP, superou o jovem britânico, de 19 anos, em quatro 'sets', por 6-0, 6-3, 6-7 (8-10) e 6-1, ao cabo de duas horas e 16 minutos.

Depois de entrar com um ritmo intenso e a dominar sobretudo com a pancada de direita, nos primeiro e segundo parciais, o número um nacional, de 30 anos, não conseguiu, contudo, aproveitar os dois 'match points' que dispôs no terceiro 'set' e acabou por ver Paul Jubb (431.º ATP) adiar a decisão da qualificação para a partida seguinte.

No quarto 'set', João Sousa atingiu facilmente uma vantagem de 3-0 e confirmou o seu favoritismo, ao registar 11 'ases', 43 'winners' e apenas 27 erros não forçados, contra os 25 pontos ganhantes e os 40 erros não forçados do adversário, que recebeu um 'wild card' para se estrear no quadro principal de Wimbledon.

Garantida pela primeira vez a continuidade no 'major' inglês desde 2016, ano em que atingiu o seu melhor resultado, ao disputar a terceira ronda, João Sousa vai defrontar agora o croata Marin Cilic, número 13 da hierarquia ATP e finalista de 2017, que afastou hoje o francês Adrian Mannarino, pelos parciais de 7-6 (8-6), 7-6 (7-4) e 6-3.

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.